Chevrolet Monza SL/E 1.8 1984 primeiro ano como o mais emplacado

Compartilhe

1984 marcou ao primeiro ano do Monza sedã como o carro nacional mais emplacado do Brasil, também mostro que a Chevrolet havia encontrado o caminho para a evolução dos seus motores Família II á ácool.

Tanto os motores VW MD-270 1.6 e MD-280 1.8 como os motores Chevrolet da família Monza, foram projetados na Europa para uso de injeção eletrônica e combustível de primeira qualidade.

Para o mercado brasileiro os engenheiros tiveram um gigantesco desafio, adaptar a eficiente engenharia europeia a realidade brasileira, uso de carburador, gasolina de má qualidade, e o maior desafio, que era adaptar todo o sistema ao combustível derivado da cana de açúcar, o álcool.

No segundo semestre de 1984, a Chevrolet já havia achado o caminho das pedras, a montadora Volkswagen só se achou em 1985 com a chegada das primeiras unidades do motor AP.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto, carroceria, chassi e suspensão, dava ao carro uma ótima estabilidade, a Chevrolet incrivelmente conseguia unir, maciez e eficiência em uma mesma suspensão.

O motor – Equipado com o motor Chevrolet 1.8 a álcool, o carro tinha o menor nível de ruído interno e externo do mercado, era rápido e eficiente.

Câmbio –  O câmbio manual de 5 velocidades, era de engates macios e precisos, em trocas mais rápidas de marcha, se mantinha eficiente.

Retomadas e ultrapassagens – Mesmo sendo um modelo que pesava 1047 kg, era rápido e eficiente com aceleração de 0 a 100 em 13,1 segundos.

Consumo –  Para um motor carburado a álcool fazer 7,4 km/l na cidade estava dentro do esperado para a época, mais detalhes na ficha técnica no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  Quadrados chanfrados nas extremidades, de lentes planas;

Setas dianteiras – Embutidas no mesmo conjunto dos faróis;

Para – choques –  Em lâminas de aço carbono na cor grafite;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – Em lâminas na horizontal na cor grafite;

Retrovisores Externos – Panorâmicos na cor preto, com controle mecânico interno – O modelo aqui da matéria esta com retrovisores 1986/1987, substituídos na restauração;

Frisos – Emborrachado em toda a extensão lateral do carro, com o logo “Monza SL/E”;

Rodas – 185/70 R13;

Maçanetas – Na cor grafite;

Logo – “Álcool”, Na tampa do porta–malas;

Lanterna Traseira – Bicolor com luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores em escala circular;

Conta – giros – Não;

Acabamento do painel – Em vinil em tons grafite;

Volante – Espumado de quatro raios;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Sim;

Relógio – Digital;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Interno mecânico;

Acabamento dos bancos – Em tecido plástico;

Acabamento das portas – Em vinil e tecido;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Sim;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Para dois passageiros embutidos nos bancos dianteiros;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Chevrolet Monza SL/E 1.8 1984

Carroceria – Sedã;

Porte – Médio;

Portas – 2;

Motor –  Chevrolet Família II 1.8;

Cilindros – 4 em linha;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Transversal;

Combustível – Álcool;

Potência – 95 cv;

Peso Torque – 71,19 kg/kgfm;

Cilindrada – 1796 cm³;

Torque máximo – 15,1 kgfm a 3000 rpm;

Potência Máxima – 5600 rpm;

Tração – Dianteira;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Manual de 5 velocidades com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco ventilado nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 1047 kg;

Suspensão dianteira – Independente, McPherson – Mola helicoidal;

Suspensão traseira – Eixo de torção – Mola helicoidal;

Comprimento – 4366 mm;

Distância entre-eixos – 2574 mm;

Largura – 1668 mm;

Altura – 1358 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 13,1 Segundos;

Velocidade máxima – 157 km/h;

Consumo: Cidade 7,4 km/l – Estrada 11 km/l;

Autonomia: Cidade 451,4 km – Estrada 671 km;

Porta malas – 510 Litros;

Carga útil – 460 kg;

Tanque de combustível – 61 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 144.172,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

About the author

Comments

  1. Tive um 86, Tinha vidros elétricos, ar condicionado, cambio automático (hidramático), completo a álcool, foi o meu primeiro carro, fiquei mais de 13 anos com ele, tenho boas recordações, depois pulei para um 94, também completo, que fiquei uns 4,5 anos com ele, me desfiz de ambos, que para meu ritmo de atividade começaram a dar muitos problemas mecânicos. Porem se fosse um colecionador teria ficado ate hoje com o 86, Que me parece que foi a primeira ano do modelo automático.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *