Chevrolet Coupe, fazer carro na década de 1940 literalmente era sinônimo de obra de arte

Compartilhe

No auge da segunda guerra mundial, fabricar um carro não era uma tarefa nada fácil, todo o aço e borracha era direcionado para o fronte de batalha, mesmo assim as montadoras criavam verdadeiras obras de arte, como o Chevrolet Coupe de 1941.

O modelo foi produzido entre 1941 e 1952, seu nome oficial era Chevrolet Deluxe, foi líder absoluto de em vendas nos Estados Unidos, chegou a ser exportado para alguns países da Europa, comercializado no Canadá e raras unidades desembarcaram no Brasil.

Em seu lançamento em 1941, nasce com a carroceria sedã 4 portas, logo ganhou outras configurações como o aerosedan” fastback de 2 portas, e a carroceria cupê 2 portas, que deu origem ao Chevrolet Coupe.

Mas a configuração original e mais glamorosa, foi até 1948, quando a montadora iniciou o processo de transição no visual e motorização de toda sua linha já visando a década de 1950. Outra curiosidade, era que mesmo em um país de primeiro mundo, durante as décadas de 1940 e 1950, a Chevrolet fazia uma grande distinção entre as versões top de linha e de entrada, a diferença na quantidade de equipamentos era bastante significativa.

Desempenho

Estabilidade – O conjunto carroceria, chassi e suspensão, era considerado atualizado para a época. Porém uma suspensão muito macia e um sistema de direção pouco preciso era sempre bom ficar atento em curvas de alta.

Motor – O motor Chevrolet Assembled de 6 cilindros e 90 cv, era de manutenção descomplicada, porém o custo das manutenções de um modelo zero km, só estava ao alcance da classe alta.

Câmbio – O câmbio 3 marchas era eficiente de engates precisos, mas exigia constantes manutenções preventivas na alavanca de engates.

Retomadas e ultrapassagens – Mesmo sendo um modelo de grande porte, que aparentava pesar muito, o conjunto tinha apenas 1500 kg, com um robusto motor de 6 cilindros, era eficiente e seguro.

Consumo – Para um motor 3.5 a gasolina de um modelo de grande porte, 4,8 km/l na cidade estava dentro do esperado, mais detalhes na ficha técnica no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  Redondos de lentes boleadas, embutidos em uma moldura cromada;

Setas dianteiras – Abaixo dos faróis;

Para – choques –  Em lâminas de aço carbono cromados, que acompanham as linhas do carro;

Faróis de neblina – Não – Utiliza luzes de longo alcance posicionadas na parte superior do para-choque. Além do farolete posicionado na coluna externa do para-brisa;

Grade de ar do motor – Bem desenhada acompanhando as linhas da carroceria em aço carbono cromada;

Retrovisores Externos– Cromado estilo bracinho;

Frisos – Metálico em toda a extensão lateral;

Rodas – Rodas de aço tradicionais da família Chevrolet, com calotas cromadas;

Maçanetas – cromadas;

Logo – “Chevrolet” na tampa do motor;

Lanterna Traseira – Em cor única;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores em escala circular e horizontal ;

Conta – giros – Não;

Acabamento do painel – Madeira, aço e detalhes cromados;

Volante – Dois raios e arco interno metálica para acionamento da buzina;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Apenas nas versões top de linha;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Analógico;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em couro;

Acabamento das portas – Em couro e detalhes cromados;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Chevrolet Coupe, modelo 1941

Carroceria – Cupê;

Porte – Grande;

Portas – 2;

Motor –  Chevrolet Assembled 3.5;

Cilindros – 6 em linha;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 90 cv;

Peso Torque – N/D kg/kgfm;

Cilindrada – 3498 cm³;

Torque máximo – 23,9 kgfm a 2000 rpm;

Potência Máxima – 3600 rpm;

Tração – Traseira;

Alimentação –  Carburador Simples;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Manual de 3 velocidades com alavanca na coluna de direção;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a tambor nas 4 rodas;

Peso – 1460 kg;

Suspensão dianteira – Coil springs;

Suspensão traseira – Feixe de molas semi elíptica – De Dion axle;

Comprimento – 5020 mm;

Distância entre-eixos – 2920 mm;

Largura – 1854 mm;

Altura – 1450 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 22.5 Segundos;

Velocidade máxima – 168 km/h;

Consumo: Cidade 4,8 km/l – Estrada 9 km/l;

Autonomia: Cidade N/D km – Estrada N/D km;

Porta malas – N/D Litros;

Carga útil – N/D kg;

Tanque de combustível – 60 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 398.190,00 – Valor com taxa de importação inclusa;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos.

Deixe um comentário