fbpx
Pular para o conteúdo

Carro Fusca Itamar 1996 no ano de despedida emplaca modestos 6.524 un

Fusca arrumado
Compartilhe

Carro Fusca Itamar 1996 no ano de despedida emplaca modestos 6.524 un: Entre os anos de 1993 e 1995 em seu retorno o modelo figurou entre os 12 carros nacionais mais vendidos.

Mas no último ano de produção foi apenas o 27º veículo mais vendido no Brasil, entre os nacionais e importados. Em 1996 com a grande batalha dos populares 1.0, como o Chevrolet Corsa e Fiat Uno, o Besouro Itamar começou a ficar sem espaço no mercado dos compactos.

Entre os anos de 1993 e 1996 foram emplacados aproximadamente 47.000 unidades. A marca esperava um número bem maior, mesmo assim o besouro acabou fazendo muito sucesso em seu retorno.

O que muita gente não sabe é que a geração do carro Fusca Itamar ganhou diferentes upgrades em relação a geração que foi descontinuada em 1986, segue abaixo a lista de modificações:

Freios a disco na dianteira com duplo circuito por eixo; Barras estabilizadoras dianteira e traseira; Ignição eletrônica e dupla carburação com sistema de reaproveitamento de gases.

Galeria de Fotos 1 – Imagens gustavobrasil.com.br

Câmbio de 4 velocidades à frente modernizado e relação de diferencial mais longo; Cinto de segurança retrátil de três pontos; Bancos dianteiros com encosto para cabeça e reclináveis.

Pisca-alerta com acionamento na coluna de direção; Limpador de duas velocidades com acionamento na coluna de direção; Para-brisa laminado degradê; Pintura metálica e para-choques na cor do veículo; Pneus radiais sem câmara.

Acendedor de cigarros elétrico; Desembaçador elétrico do vigia traseiro (opcional); Luz de longo alcance (opcional); Vidros verdes (opcional); Escapamento em saída única com catalisador; Motor 1.6 melhorado a gasolina ou a álcool com 58,7 cv. Direção com trava na coluna; Acabamento interno em carpete (Nos forros laterais era opcional) e tecido nos bancos;

Ficha Técnica – Fusca Itamar 1996

Carroceria – VW Sedã; Porte – Compacto; Portas – 2; Motor – VW Boxer 1600 Tork; Cilindros – 4 opostos horizontalmente; Válvulas por cilindro – 2; Posição – Longitudinal; Peso/torque – 66,9 kg/kgfm; Tração – Traseira.

Combustível – Gasolina; Alimentação –  Carburador; Direção – Simples; Câmbio – Manual de 4 velocidades, alavanca no assoalho; Embreagem – Monodisco a seco; Freios – Freio a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras.

Peso – 796 kg; Comprimento – 4050 mm; Distância entre-eixos – 2400 mm; Largura – 1540 mm; Altura – 1500 mm; Potência – 58,7 cv; Cilindrada – 1584 cm³; Torque máximo – 11,9 kgfm a 2800 rpm; Potência Máxima – 4300 rm.

Aceleração de 0 a 100 – 14,3 Segundos; Velocidade máxima – 140,2 km/h; Consumo: Cidade 8,4 km/l – Estrada 9,7 km/l; Autonomia: Cidade 344 km – Estrada 398 km; Porta malas – 141 Litros; Carga útil – 380 kg; Tanque de combustível – 41 Litros.

Galeria de Fotos 1 – Imagens gustavobrasil.com.br

Motor Tudo somos todos um só, o maior e melhor conteúdo de carros clássicos do Brasil. Notícias, Fichas Técnica, fotos de carros antigos e novidades do mercado.

carro antigamente
carro antigamente

Carros antigos

Caminhonete D10, a arma da GM para enfrentar o Ford F-1000 Elba carro – Chega ao Brasil o SW da família Uno, que tirou o sono dos SW Compacto VW e GM Fiat Oggi CSS 1.4 1984 conheça o Esportivo da Família 147 Vectra Elegance, em 2009 o médio de luxo da Chevrolet ainda causava frisson Toyota Paseo, conheça o cupê compacto da montadora japonesa Corsa 99, a versão Super do popular mais confortável da década de 1990 Opala 6 caneco, a versão standard de 1979 customizada Saveiro 96, o fim da bem sucedida geração quadrada se aproximava Chrysler Neon 2000, o início do fim, do médio de elite, hoje um raro colecionável Vectra 97, nunca restaurado, a versão CD 16V, com teto solar e câmbio automático

CONTATO Fale Com o Motor Tudo no Facebook.

Carros antigos