Audi V6, o modelo A6 1995, do gigante de luxo com acabamento interno vinho

Compartilhe

O Audi V6, o modelo A6 de 1995, fez parte da nova geração de sedãs de grande porte do grupo VolksAudi, do início da década de 1990. Do lado da Volkswagen nascia a 4ª geração do Passat, já a irmã de Elite Audi, também colocava no mercado seus projetos mais atualizados de sedãs de luxo de grande e médio porte.

Os modelos, tanto Passat 4ª geração como Audi A6 desembarcaram no Brasil, a partir de 1993/94, como modelos de alto custo literalmente ao alcance de poucos. Como já citado em outras matérias a falta de estrutura econômica brasileira, não possibilitou que nossos modelos acompanhassem a mesma evolução dos europeus. Nos contentamos com a segunda geração do Santana que ainda utilizava a plataforma de 1984, e na concorrência o Monza Tubarão que também utilizava a mesma plataforma desde 1983.

Voltando a falar o Audi V6, no modelo A6 de 1995, o projeto já utilizava a moderna plataforma “C4” e vinha equipado com o motor 2.8 de 6 cilindros em V, câmbio automático de 4 marchas Cód ZF 4HP18, ainda oferecia a opção para para Syncro 4×4, tecnologia desenvolvida em parceria das três empresas do grupo, Audi, Volks e Porsche. Ar-condicionado digital e airbags frontais fechavam o pacote de novas tecnologias.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto do projeto, era um dos mais atualizados do mercado, deixando o carro seguro e muito eficiente, tanto em curvas de alta como em retas, em velocidades acima de 180 km/h.

Motor –  Utilizando o motor Audi 2.8 V6, conseguia unir muita confiança e robustez em um mesmo carro, rápido, seguro e robusto.

Câmbio –  O automático de 4 marchas, trazia para o Brasil uma nova realidade, retomadas mais precisas, e trocas de marchas mais suaves sem trancos.

Retomadas e ultrapassagens – Com um motor com bastante fôlego e um câmbio descomplicado o carro era seguro e eficiente.

Consumo –  Não era o mais econômico de mercado, fazendo fazendo 6,2 km/l na cidade, mas a grande vantagem era com o carro com carga máxima de 550 kg, não tinha muita variação de consumo, e não perdia o fôlego – Ficha técnica completa no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  Retangulares de lentes planas, chanfrados nas extremidades;

Setas dianteiras – Embutidas no mesmo conjunto com os faróis;

Para – choques –  Envolventes na cor do carro;

Faróis de neblina – Embutidos no para – choque dianteiro;

Grade de ar do motor – Com frisos na horizontal e moldura cromada;

Retrovisores Externos – Panorâmicos pintados na cor da carroceria, com controle elétrico interno;

Frisos – Emborrachado em toda a extensão lateral do carro, acompanhando o acabamento dos para-choques;

Rodas – Liga leve 195/65 R15;

Maçanetas – Na cor da carroceria;

Logo – “2.8” na tampa do porta malas;

Lanterna Traseira – Bicolor fumê com luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Sim;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com diversos mostradores em escala circular e digital;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em couro e vinil;

Volante – Espumado de quatro raios, estilo executivo, com acabamento em couro;

Sistema de som – Radio digital;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Digital;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Sim;

Relógio – Digital;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Elétrico nas quatro portas;

Sistema de travamento das portas – Elétrico, com travamento central;

Ajuste dos retrovisores externos – Elétrico;

Acabamento dos bancos – Em couro vermelho;

Acabamento das portas – Em couro, madeira e detalhes cromados;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Com cinto de segurança de três pontos e encosto de cabeça, para dois passageiros;

Encosto de cabeça – Para quatro passageiros;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Audi V6, o modelo A6 1995

Carroceria – Sedã;

Porte – Grande;

Portas – 4;

Motor –  2.8;

Cilindros – 6 em V;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Potência – 174 cv;

Cilindrada – 2771 cm³;

Peso Torque – 58,2 kg/kgfm;

Torque máximo – 25,5 kgfm a 3000 rpm;

Potência Máxima – 5500 rpm;

Tração – Dianteira – Opção para Syncro 4×4;

Combustível – Gasolina;

Alimentação –  Injeção Multiponto;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Automático de 4 marchas, alavanca no assoalho;

Embreagem – Conversor de torque;

Freios – Freio ABS a disco ventilado nas rodas dianteiras e disco rígido nas rodas traseiras;

Peso – 1485 kg;

Comprimento – 4797 mm;

Distância entre-eixos – 2687 mm;

Largura – 1783 mm;

Altura – 1430 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 10,2 Segundos;

Velocidade máxima – 217 km/h;

Consumo: Cidade 6,2 km/l – Estrada 8,3 km/l;

Autonomia: Cidade 496 km – Estrada 664 km;

Porta malas – 495 Litros;

Carga útil – 550 kg;

Tanque de combustível – 80 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 433.000,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Deixe um comentário