VW TL 1972 com pintura metálica azul atlas, a unidade que servia como mostruário da montadora

Compartilhe

1972 nasce o esportivo SP2, e o VW Fusca, bate seu maior recorde em vendas, com 252.209 unidades emplacadas em apenas 12 meses, mesmo assim, o VW TL 1600, aponta com um dos modelos mais procurados nas concessionárias.

Com um apelo jovem, o cupê compacto da Volkswagen, estava no auge da carreira, a unidade aqui da matéria, servia como mostruário da montadora, era apenas 1 por estado, na cor metálica, azul atlas, conforme imagem publicitária da época abaixo. Ainda trazia como opcional, acabamento interno marrom, rádio e acessórios de época.

Imagens ateliedocarro.com.br

A maior dificuldade para a montadora vender o VW TL, era a concorrência no quintal de casa. Em 1972, além do recorde de vendas do VW Fusca, a situação também se agravou com a chegada do SP2, e o anúncio do lançamento do badalado VW Brasília.

Os fãs da montadora, optavam em um primeiro momento pelo VW Fusca, mas muitos aguardaram o ano seguinte, para investir em um novo veículo, esperando o VW Brasília.

O VW TL acabava caindo em um leque de mercado, bastante seletivo, para quem queria um compacto mais requintado, esse segmento normalmente eram compradores, solteiros ou casais bem sucedidos. Um público bastante reduzido, mas dispostos a pagar uma algo a mais por um compacto diferenciado.

Desempenho

Estabilidade – O conjunto carroceria, chassi e suspensão, era relativamente eficiente, considerando a tecnologia da época. Em curvas de alta com o piso molhado era sempre bom o motorista ficar atendo a saídas de pista, mas em um país onde a grande maioria das vias eram de ruas estreitas de paralelepípedo, ou de chão batido, ele tinha a suspensão ideal.

Motor – O motor Volkswagen Boxer 1600, era de manutenção descomplicada e de baixo custo, mas em meses mais quentes, era necessário estar em dia com as manutenções de platinado e bobina.

Câmbio – O câmbio do VW 1600, chegou ao início da década de 1970, com uma estrutura mais robusta e engates mais eficientes.

Retomadas e ultrapassagens – Atendia as expectativas para um compacto da década de 1970, mas em pistas de mão dupla, coma carga máxima de peso, era sempre bom o motorista negociar bem as ultrapassagens.

Consumo – Para um motor 1600 de um modelo compacto, fazer, 7 km/l na cidade, estava dentro do esperado, mais detalhes na ficha técnica.

Acabamento Externo

Faróis –  Redondos, de lentes duplas na horizontal;

Setas dianteiras – Embutidas no para-choque;

Para – choques –  Cromados, em lâminas de aço carbono;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – Entrada de ar forçado nos para-lamas traseiros;

Retrovisores Externos– Estilo raquete;

Frisos – Fino friso metálico em toda a extensão do rodapé do carro;

Rodas – Rodas de aço da família VW, com calotas cromadas;

Maçanetas – Cromadas;

Logo – “VW TL ” na tampa do motor;

Lanterna Traseira – Tricolor com luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores básicos em escala circular;

Conta – giros – Não;

Acabamento do painel – Em vinil preto e aplique em imitação de madeira jacarandá;

Volante – De plástico injetado de dois raios, com meia lua cromada para acionamento da buzina;

Sistema de som – Opcional;

Ventilador – N/D;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – N/D;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Opcional;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em vinil, marrom;

Acabamento das portas – Em vinil, marrom, com detalhes cromados;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Emborrachado;

Porta-malas – Emborrachado;

Ficha Técnica – VW TL 1600 1972

Carroceria – Hatch;

Porte – Compacto;

Portas – 2;

Motor –  Volkswagen Boxer 1600;

Cilindros – 4 opostos horizontalmente;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 65 cv;

Peso Torque – 76,7 kg/kgfm;

Cilindrada – 1584 cm³;

Torque máximo – 12 kgfm a 3000 rpm;

Potência Máxima – 4600 rpm;

Tração – Traseira;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 4 velocidades com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 920 kg;

Suspensão dianteira – Independente, braço arrastado – Barra de torção;

Suspensão traseira – Independente semi-eixo oscilantes – Barra de torção;

Comprimento – 4320 mm;

Distância entre-eixos – 2450 mm;

Largura – 1580 mm;

Altura – 1430 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 20,9 Segundos;

Velocidade máxima – 139 km/h;

Consumo: Cidade 7 km/l – Estrada 9 km/l;

Autonomia: Cidade 280 km – Estrada 360 km;

Porta malas – 140 Litros;

Carga útil – Não informado;

Tanque de combustível – 40 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 59.600,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Deixe uma resposta