Toyota Hilux SW4 1998 o início da febre dos SUV’s

Compartilhe

Durante a década de 1990, o mercado brasileiro foi inundado por SUV’s importados de alto custo, jogadores de futebol e outras celebridades passaram a desfilar em modelos como, Pajero, Ford Explorer, Grand Cherokee

A montadora japonesa, fez sucesso com o Toyota Hilux SW4 1998, na prática uma versão fechada de sua picape de grande porte. O modelo era equipado com o motor 3.0 Turbo Diesel, tração 4X4 e freios ABS.

Ao contrário dos dias de hoje, que vemos SUV em praticamente todos os modelos, desde compactos populares até os de alto custo de elite, durante a década de 1990 literalmente era um segmento ao alcance de poucos e com uma concorrência bastante acirrada.

A intenção das montadoras não era vendas em grandes lotes, mas poucas unidades emplacadas mensalmente a preços estratosféricos, já compensava e muito o investimento aqui no Brasil.

Desempenho

Estabilidade –  A Toyota conseguiu unir conforto e segurança na mesma suspensão, mesmo sem controle de tração e estabilidade.

Motor –  Utilizava o motor Toyota 3.0 Diesel Turbo de 116 cv, com aceleração de 0 a 100 em 16,8 segundos, não estava entre os SUV’s mais rápidos comercializado no Brasil, mas era extremamente confiável e robusto.

Câmbio –  O câmbio manual de 5 velocidades, atendia as expectativas para um SUV de luxo, mas após 3 ou 4 anos de uso, as manutenções preventivas e corretivas ficavam cada vez mais frequentes.

Retomadas e ultrapassagens – Era eficiente e seguro, mesmo com 5 adultos e porta malas cheio, praticamente não perdia o fôlego.

Consumo –  Para um modelo de grande porte pesando 1905 kg, consumir 8 km/l na cidade, era considerado dentro dos padrões para a época, mais detalhes na ficha técnica no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  De lentes planas, chanfrado nas extremidades.

Setas dianteiras – Embutidas no mesmo conjunto dos faróis;

Para – choques –  Envolventes cromados e cinza;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – De plástico, com moldura cromada;

Retrovisor Externo – Panorâmico na cor da carroceria, com ajuste elétrico interno;

Frisos – Não;

Rodas – De liga leve, 265/70 R15;

Maçanetas – Embutidas na porta na cor grafite;

Logo – “3.0 Turbo D” na tampa do porta-malas;

Lanterna Traseira – Bicolor, com luz de ré;

Bagageiro – Sim;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Sim;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com diversos mostradores em escala circular;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em vinil e couro nas cores cinza e grafite;

Volante – Espumado de 4 raios;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Sim;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Sim;

Relógio – Digital;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Elétrico nas quatro portas;

Sistema de travamento das portas – Elétrico;

Ajuste dos retrovisores externos – Elétrico;

Acabamento dos bancos – Em tecido e opcional para couro;

Acabamento das portas – Em vinil e tecido;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Com cinto de segurança de três pontos e encosto de cabeça, para dois passageiros;

Encosto de cabeça – Para quatro passageiros;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Toyota Hilux SW4 1998

Carroceria – SUV;

Porte – Grande;

Portas – 4;

Motor –  3.0 Turbocompressor;

Cilindros – 4 em linha;

Posição – Longitudinal;

Peso Torque – 59,3 kg/kgfm;

Tração – Integral permanente;

Combustível – Diesel;

Alimentação –  Injeção Direta;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Manual de 5 velocidades, com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freios ABS a disco ventilado nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 1905 kg;

Comprimento – 4655 mm;

Distância entre-eixos – 2670 mm;

Largura – 1730 mm;

Altura – 1745 mm;

Potência – 116 cv;

Cilindrada – 2982 cm³;

Torque máximo – 32,1 kgfm a 2000 rpm;

Potência Máxima – 3600 RPM;

Aceleração de 0 a 100 – 16,8 Segundos;

Velocidade máxima – 150 km/h;

Consumo: Cidade 8 km/l – Estrada 10 km/l;

Autonomia: Cidade 560 km – Estrada 700 km;

Porta malas – 500 Litros;

Carga útil – 495 kg;

Tanque de combustível – 70 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 316.205,00.

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.joi

Deixe uma resposta