Porsche Carrera 911 Cabriolet 1994 ele fez parte do topo das marcas de elite

Compartilhe

No início da década de 1990, durante o frenesi dos tão sonhados carros importados, ele chegou ao Brasil como um dos modelos de custo mais elevado entre as marcas de elite

O Porsche Carrera 911 Cabriolet 1994, para os padrões da América do Sul, era posicionado como um super esportivo de elite médio porte, de alto custo. Já nos países mais desenvolvidos da Europa, e América do Norte, como Estados Unidos e Canadá, o posicionamento era de um esportivo de elite, compacto de custo intermediário.

As primeiras unidades importadas para o Brasil em 1992, foram ações particulares de pessoa física, mas imediatamente o representante de importações da montadora no Brasil, iniciou o processo oficial de importação da marca. A intenção não eram vendas em grandes lotes, mas para um público bastante específico, em um país de terceiro mundo com uma economia pobre, as vendas foram modestas.

A unidade aqui da matéria o Porsche Carrera 911 Cabriolet 1994, vem equipada com o motor Boxer M64 3.6 L de 6 cilindros, 286 cv de força, câmbio automático e semiautomático, com velocidade final real de 275 km/h. Mas para tirar da concessionária uma unidade zero km na época você precisaria desembolsar R$ 752.843,00 em valores atualizados para o primeiro semestre de 2021.

Desempenho

Estabilidade –  Para um esportivo de elite, sem dúvida, tanto a suspensão, como a distribuição de peso, foram desenvolvidas para alcançar um alto desempenho, em curvas de alta, em retas, em velocidades acima de 200 km/h, com muita eficiência.

Motor –  Utilizando o motor Porsche Boxer M64 3.6 L de 286 cv e 6 cilindros, era robusto e muito confiável, com aceleração de 0 a 100 em 5,4 segundos.

Câmbio –  O câmbio automático e semiautomático, não tirava a esportividade do carro, deixando o modelo confortável e ao mesmo tempo divertido de dirigir.

Retomadas e ultrapassagens – Com um motor elástico com muito fôlego, que respondia muito bem ao pedal do acelerador, era um dos carros mais eficiente do mundo.

Consumo –  Para um esportivo de elite, com um motor de 6 cilindros, fazer 5,5 km/l era o que menos importava. Mais detalhes na ficha técnica no final da matéria.

Acabamento Externo

Faróis –  Faróis com circunferência oval, de lentes boleadas, mantendo as tradicionais linhas da montadora;

Setas dianteiras – Embutidas no para – choque;

Para – choques –  Envolventes na cor da carroceria, com friso emborrachado;

Faróis de neblina – Sim;

Grade de ar do motor – Entrada de ar na tampa traseira;

Retrovisores Externos – Panorâmicos, com ajuste elétrico interno;

Frisos – Não;

Rodas – Tradicionais família Porsche – Frente 205/55 R16 – Traseira 205/45 R16;

Maçanetas – Na cor grafite;

Logo – “Carrera”, Na tampa traseira;

Lanterna Traseira – Bicolor com luz de ré, com extensão em toda a circunferência da tampa traseira;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Carroceria Cabriolet / Conversível;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com diversos mostradores em escala circular;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em couro na cor azul;

Volante – Espumado de quatro raios, com acabamento em couro, costurado a mão;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Sim;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Sim;

Relógio – Analógico;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Elétrico;

Sistema de travamento das portas – Elétrico;

Ajuste dos retrovisores externos – Interno elétrico;

Acabamento dos bancos – Em couro azul;

Acabamento das portas – Em couro azul e carpete cinza;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Com cinto de segurança de três pontos, para dois passageiros;

Encosto de cabeça – Para dois passageiros embutidos nos bancos dianteiros;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – ;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Porsche Carrera 911 Cabriolet 1994

Carroceria – Cabriolet / Conversível;

Porte – Médio;

Portas – 2;

Motor –  Boxer M64 3.6 L refrigerado a ar;

Cilindros – 6 opostos horizontalmente;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 286 cv;

Peso Torque – 39,5 kg/kgfm;

Cilindrada – 3600 cm³;

Torque máximo – 34,7 kgfm a 5250 rpm;

Potência Máxima – 6100 rpm;

Tração – Traseira (RWD);

Alimentação –  Injeção Multiponto;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – automático e semiautomático;

Embreagem – Conversor de torque;

Freios – Freios ABS a disco ventilado nas 4 rodas;

Peso – 1280 kg;

Suspensão dianteira – Independente, McPherson – Mola helicoidal;

Suspensão traseira – Independente, braços arrastados – Mola helicoidal ;

Comprimento – 4245 mm;

Distância entre-eixos – 2272 mm;

Largura – 1735 mm;

Altura – 1300 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 5,4 Segundos;

Velocidade máxima – 275 km/h;

Consumo: Cidade 5,5 km/l – Estrada 10,5 km/l;

Autonomia: Cidade 407 km – Estrada 777 km;

Porta malas – 123 Litros;

Carga útil – 340 kg;

Tanque de combustível – 74 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 752.843,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.joi

Deixe uma resposta