Porsche Branco, o 930 Turbo de 1979, direcionado para o mercado norte-americano,

Compartilhe

O Porsche Branco da nossa matéria, é a versão conhecida na Europa como 911 Turbo, na terra do Tio Sam rebatizado de 930 Turbo, no final da década de 1970 e início da década de 1980, foi considerado o carro mais arisco do mundo. Entregando 300 cv de força, com distância entre eixos de apena 2770 mm, tração traseira, sem direção hidráulica, sem controle de tração ou estabilidade, era pura adrenalina.

Para pilotar uma unidade na época, você tinha que ter espírito aventureiro, esportividade nas veias, e sangue frio passando por elas. O carro era simplesmente fantástico, um simples toque no pedal do acelerado e já ouvia o barulho dos pneus cantando, o impressionante ronco do motor e o giro subindo rapidamente, uma verdadeira usina de força.

Equipado com o robusto e nervoso motor de 6 cilindros, 3.3 Turbo de 300 cv, com sistema de alimentação, Bosch K-Jetronice e câmbio 4 marchas preparado para alta performance, se tornou a sensação entre 1978 e o início da década de 1980, sucesso de vendas nos E.U.A e na Europa, mas em países atrasados de terceiro mundo com as fronteiras comerciais fechadas para importação como o Brasil, raras unidades desembarcaram por aqui.

Hoje um dos colecionáveis mais procurados e valorizados no segmento dos esportivos antigos, é um dos melhores investimentos do mercado de carros clássicos, com retorno e ganho no investimento a cada ano.

Desempenho

Estabilidade –  Para um esportivo de elite, sem dúvida, tanto a suspensão, quanto a distribuição de peso, foram desenvolvidas para alcançar um alto desempenho, mas com um sistema Turbo e 300 cv, em curvas de alta, em retas, em velocidades acima de 240 km/h, exigia uma boa habilidade do motorista.

Motor –  Utilizando o motor Porsche Boxer 6 de 300 cv e 6 cilindros, com 42 kgfm a 4000 rpm, era robusto e muito confiável, com aceleração de 0 a 100 em 5 segundos.

Câmbio –  O câmbio manual de 4 marchas, era padronizado no mesmo sistema de competição, com engates precisos, não importava a situação ou o terreno, ele nunca falhava.

Retomadas e ultrapassagens – Com um motor elástico com muito fôlego, que respondia muito bem ao pedal do acelerador, era um dos carros mais eficiente do mundo.

Consumo –  Para um esportivo de elite, com um motor de 6 cilindros, fazer 5 km/l era o que menos importava.

Acabamento Externo

Faróis –  Faróis com circunferência oval, de lentes boleadas;

Setas dianteiras – Embutidas no para – choque;

Para – choques –  Na cor da carroceria, com friso emborrachado;

Faróis de neblina – Sim;

Grade de ar do motor – Entrada de ar na tampa traseira;

Retrovisores Externos – Panorâmicos, com ajuste elétrico interno;

Frisos – Emborrachado em toda a extensão do rodapé;

Rodas – Tradicionais família Porsche;

Maçanetas – Na cor grafite;

Logo – “Turbo”, abaixo da tampa traseira;

Lanterna Traseira – Tricolor com luz de ré, com extensão em toda a circunferência traseira;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Sim;

Limpador do vidro traseiro – Sim;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com diversos mostradores em escala circular;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em couro em tons grafite;

Volante – Espumado de três raios, com acabamento em couro, costurado a mão;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Sim;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Sim;

Relógio – Analógico;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Elétrico;

Sistema de travamento das portas – Elétrico;

Ajuste dos retrovisores externos – Interno elétrico;

Acabamento dos bancos – Em couro;

Acabamento das portas – Em couro e carpete;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Com cinto de segurança de três pontos, para dois passageiros;

Encosto de cabeça – Para dois passageiros embutidos nos bancos dianteiros;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Porsche Branco, na configuração 930 Turbo – Do ano de de 1979

Carroceria – Cupê;

Porte – Grande;

Portas – 2;

Motor –  3.3 Boxer 6 Turbo + Intercooler refrigerado a ar;

Cilindros – 6 opostos horizontalmente;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 300 cv;

Peso Torque – N/D kg/kgfm;

Cilindrada – 3387 cm³;

Torque máximo – 42 kgfm a 4000 rpm;

Potência Máxima – 5500 rpm;

Tração – Traseira (RWD);

Alimentação –  Bosch K-Jetronic;

Direção – Rack and pinion;

Câmbio – Manual de 4 marchas com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freios a disco ventilado nas 4 rodas;

Peso – 1335 kg;

Suspensão dianteira – Independent. McPherson;

Suspensão traseira – Independent. trailing arms and double-acting shock absorbers;

Comprimento – 4290 mm;

Distância entre-eixos – 2270 mm;

Largura – 1780 mm;

Altura – 1310 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 5 Segundos;

Velocidade máxima – 275 km/h;

Consumo: Cidade 5 km/l – Estrada 9,5 km/l;

Autonomia: Cidade N/D km – Estrada N/D km;

Porta malas – 200 Litros;

Carga útil – N/D kg;

Tanque de combustível – 80 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 1.100.000,00 – Sem considerara taxas de importações da época + documentação;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Deixe um comentário