Porsche 911 verde, o Carrera RS Clone 78, ganha motor 3.3, e novo sistema de alimentação

Compartilhe

O Porsche 911 verde, o Carrera RS Clone 78, ganha upgrade de motor pula de 2.7 de 210 cv para 3.3 de 300 cv, o modelo já vinha sendo desenvolvido desde o início da década, e ano a ano ganhava mais fôlego e equilíbrio. Tudo para atender ao critério de certas competições, que exigiam que um número mínimo de carros de rua produzidos.

A história começou em 1972 quando a FIA determinou que o modelo 917, não atendia mais os critérios para competições. A montadora resolveu correr atrás de uma solução. Sem o apoio financeiro da irmã rica Volkswagen que anunciou que investiria apenas em modelos Porsche refrigerados a água, o jeito foi transformar o já existente 911 Carrera em um modelo para as pistas.

O problema era que o primeiro modelo Carrera RS “Rennsport” equipado com motor 2.4 de 190 cv, recebeu mais fôlego para as pistas, o motor 2.7 e injeção mecânica Bosch, e se tornou o carro mais arisco do mundo, sem condições de ser utilizado em competições profissionais em circuitos mistos.

Mas o engenheiro Norbert Singer, utilizando um túnel de vento descobriu que a colocação de um aerofólio resolveria o problema. O novo esportivo de competição da montadora se transformou em um carro extremamente equilibrado em curvas.

Mas ainda havia outro problema, uma determinada porcentagem anualmente deveria ser produzida para as ruas, para que o veículo fosse homologado para competições, poucas unidades anualmente eram fabricadas e direcionadas para as concessionárias, apenas para cumprir as exigências, tornado o modelo como o mais caro e colecionável desde a década de 1970.

A unidade da nossa matéria Porsche 911 verde, Carrera RS Clone, ganhou em 1978 novo upgrade de motor, passou para 3.3 de 300 cv com Turbocompressor, atualização no sistema Injeção eletrônica Bosch, Torque máximo 30 kgfm a 5800 rpm, com velocidade final real de 260 km/h, aceleração de 0 a 100 em 5,2 segundos e câmbio manual de 5 marchas, “números oficiais”. O exemplar da matéria recebeu uma leve customização e passou a potência do motor para 3.6.

Desempenho

Estabilidade –  Para um esportivo de elite, sem dúvida, tanto a suspensão, e a distribuição de peso, foram desenvolvidas para alcançar um alto desempenho, em curvas de alta, em retas, em velocidades acima de 200 km/h, com muita eficiência.

Motor –  Utilizando o motor Porsche Boxer 6 de 300 cv, e 6 cilindros, era robusto e muito confiável, com aceleração de 0 a 100 em 5,2 segundos.

Câmbio –  O câmbio manual de 5 marchas, era muito elástico e robusto e engates precisos, não importava a situação ou o terreno, ele nunca falhava.

Retomadas e ultrapassagens – Com um motor elástico com muito fôlego, que respondia muito bem ao pedal do acelerador, era um dos carros mais eficiente do mundo.

Consumo –  Para um esportivo de elite, com um motor de 6 cilindros, fazer 4,5 km/l era o que menos importava.

Acabamento Externo

Faróis –  Faróis com circunferência oval, de lentes boleadas;

Setas dianteiras – Embutidas acima do para – choque;

Para – choques –  Envolventes na cor da carroceria, com um fino friso preto, dando um ar mais esportivo;

Faróis de neblina – Sim;

Grade de ar do motor – Entrada de ar na tampa traseira;

Retrovisores Externos – Panorâmicos, com ajuste interno;

Frisos – Faixa lateral com o logo “Carrera”;

Rodas – Tradicionais família Porsche;

Maçanetas – Na cor grafite;

Logo – “Porsche”, Na tampa traseira;

Lanterna Traseira – Tricolor com luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Sim;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com diversos mostradores em escala circular;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em couro em tons grafite;

Volante – Espumado de três raios, com acabamento em couro, costurado a mão;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Sim;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Sim;

Relógio – Analógico;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Elétrico;

Sistema de travamento das portas – Elétrico;

Ajuste dos retrovisores externos – Interno elétrico;

Acabamento dos bancos – Em couro;

Acabamento das portas – Em couro e carpete;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Para dois passageiros embutidos nos bancos dianteiros;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Porsche 911 verde, na versão Carrera RS Clone do ano de 1978

Carroceria – Cupê;

Porte – Grande;

Portas – 2;

Motor –  3.3 Boxer 6 refrigerado a ar;

Cilindros – 6 opostos horizontalmente;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 300 cv;

Peso Torque – N/D kg/kgfm;

Cilindrada – 3299 cm³;

Torque máximo – 30 kgfm a 5800 rpm;

Potência Máxima – 6300 rpm;

Tração – Traseira (RWD);

Alimentação –  Bosch K-Jetronic fuel injection;

Direção – Rack and pinion;

Câmbio – Manual de 5 marchas com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freios a disco ventilado nas 4 rodas;

Peso – 1335 kg;

Suspensão dianteira – Independent. McPherson;

Suspensão traseira – Independent. trailing arms and double-acting shock absorbers;

Comprimento – 4290 mm;

Distância entre-eixos – 2270 mm;

Largura – 1780 mm;

Altura – 1310 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 5.2 Segundos;

Velocidade máxima – 260 km/h;

Consumo: Cidade 4,5 km/l – Estrada 9,5 km/l;

Autonomia: Cidade N/D km – Estrada N/D km;

Porta malas – 200 Litros;

Carga útil – N/D kg;

Tanque de combustível – 80 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 1000.000,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos.

Deixe um comentário