Kadett GSi 2.0 Conversível Um nacional com cara de importado.

Compartilhe

Com a abertura do mercado para os importados, a Chevrolet se empolgou e resolveu lançar o Kadett GSi 2.0 Conversível, um brasileiro com roupa italiana, muita tecnologia, eficiência e beleza.

Finalmente o Escort XR3 Conversível tinha um concorrente, no Brasil já existiam outros conversíveis, a Sulan uma empresa fora de série criou algumas unidades do Uno conversível, a Concessionária VW Condor criou alguns modelos do GOL Conversível, mas em série somente a Ford e Chevrolet.

Com a abertura do mercado nacional para carros, peças e mão de obra importada, a Chevrolet não perdeu tempo para criar seu conversível, esperançosa que o mercado seria aquecido, com a chegada de modelos mais avançados.

A estrutura do Kadett era fabricada aqui, depois enviada para a Itália onde eram dadas as formas da carroceria conversível, depois o carro voltava para o Brasil onde recebia, mecânica, pintura, acabamento e capota, ao contrário do XR3 onde a transformação e montagem ocorria na Karmann Ghia de São Bernado do campo.

Comprar um Kadett GSi 2.0 Conversível no início dos anos 90, era mais pelo Status que a aquisição proporcionava, que pelo prazer de dirigir com a cara para o vento em um veículo que nos dias de hoje custaria próximo a R$ 160.000,00, para quem não se lembra a primeira metade dos anos 90 foi marcada pelo início da corrida por carros blindados, estávamos vivento a explosão dos assaltos, sequestros e crime organizado que nos assolam até hoje, então ter um carro conversível levantavam algumas discussões.

De uma maneira ou de outra o carro fez sucesso e embalou muitos sonhos.

Desempenho.

  • O Kadett GSi 2.0 conversível usava suspensão traseira regulável, uma opção a mais no conforto e segurança.
  •  Bom de estrada e curvas de alta mesmo com a capota abaixada.
  • Sistema de direção hidráulica muito preciso.
  • Motor Chevrolet 2.0i rápido, ágil, e confiável.

Imagens Pastore Car Collection.

Imagens Pastore Car Collection.


Acabamento Externo.

  • Lanternas traseiras alemã.
  • Rodas exclusivas da linha kadett Gsi.
  • Retrovisores panorâmicos com controle elétrico.
  • Faróis de neblina embutidos no para-choque.
  • Logo GSi 2.0 na tampa traseira.

Imagens Pastore Car Collection.

Imagens Pastore Car Collection.

Imagens Pastore Car Collection.

Imagens Pastore Car Collection.

Imagens Pastore Car Collection.


Acabamento interno.

  • Bancos esportivo Recaro.
  • Encosto de cabeça vazado.
  • Painel digital, bonito e muito eficiente.
  • Vidros e travas elétricas.
  • Volante esportivo de três raios.

Imagens Pastore Car Collection.

Imagens Pastore Car Collection.

Imagens Pastore Car Collection.

Imagens Pastore Car Collection.

Imagens Pastore Car Collection.

Imagens Pastore Car Collection.

Imagens Pastore Car Collection.


Ficha Técnica.

  • Motor GM Família II – 2.0i
  • Injeção eletrônica multiponto.
  • 121 CV de força.
  • De 0 a 100 em 11,4 Segundos.
  • Velocidade máxima 183 KM/h.
  • Peso 1140 KG.
  • Consumo Cidade 8,2 Km/L Estrada 12,7 Km/L.
  • Preço aproximado atualizado R$ 160.000,00.

Imagens Pastore Car Collection.

Imagens Pastore Car Collection.

Imagens Pastore Car Collection.

Imagens Pastore Car Collection.

Imagens Pastore Car Collection.

Imagens Pastore Car Collection.

Imagens Pastore Car Collection.

Imagens Pastore Car Collection.

Imagens Pastore Car Collection.


Motor Tudo – Chevrolet Kadett GSi 2.0 Conversível 1992.

Carros dos anos 90 – Carros Clássicos brasileiros.

3 comentários sobre “Kadett GSi 2.0 Conversível Um nacional com cara de importado.”

  1. Lucas, boa noite!

    Só para retificar seu comentário… Na verdade a trama da novela era passada no Rio de Janeiro, inclusive a mesma morava na Barra da Tijuca, no condomínio Barramares (de frente para a praia). Claro que não poderia deixar de ressaltar que não haveria cenário melhor para o Kadett conversível do que uma cidade que é a cara do verão.

  2. Um belo veículo fez grande sucesso inclusive usado por protagonistas de novelas da Globo que em seus papéis serão bem-sucedidos e ricos

    Me lembro bem da novela A Viagem de 1994 a protagonista Dinah vivida por Christiane Torloni tinha um Kadett GSI conversível vinho ela era uma bem-sucedida empresária morava no bairro nobre em São Paulo.

    Era comum nessa época associar a conversíveis pessoas de posses até porque antes do lançamento do Kadett GSI conversível Escort XR3 em 1989 era o carro nacional mais caro.

Deixe uma resposta