fbpx
Pular para o conteúdo

Jeep híbrido o modelo Compass mais econômico e menos poluente

Jeep Híbrido
Compartilhe

Jeep híbrido o modelo Compass mais econômico e menos poluente que a versão flex. Entrega quase o mesmo desempenho, é superior em alguns quesitos mas em sua maioria permanece o mesmo, porém faz isso com um consumo infinitamente melhor e sem agredir o meio ambiente. A diferença de preço é enorme, mas talvez compense pela economia no combustível.

O carro desta matéria é muito mais caro que seu colega de modelo, mas isso é justificável em função da complexidade em que o conjunto mecânico e propulsor trabalham juntos, fora equipamentos novos e melhoras em sua aceleração. A diferença é de aproximadamente R$ 146.000,00, uma grande quantia.

Sua potência é a mesma que o S 1.3, mas o consumo, como podemos esperar de um híbrido, é literalmente duas vezes melhor que a versão a combustão. Além disso, o 4xe vai de 0 a 100 em apenas 6,8 segundos, 2,6 segundos a menos que o 1.3. Sua ficha técnica possui três equipamentos a mais, porém perdeu um que está presente apenas na outra versão.

O código do motor a combustão é GSE T270, e o mesmo possui uma potência combinada de 240 cavalos e 47,9 kgfm torque combinado. Junto do motor elétrico, faz o consumo de 25,4 km/l na cidade e 24,2 km/l na estrada, mais um híbrido pensado para andar majoritariamente na cidade. O preço sugerido pela montadora é de R$ 350.000,00.

Os principais equipamentos de série são: 6 airbags, assistente de permanência em faixa, câmera para visão de 360 graus, chamada de assistência de emergência, freganagem automática de emergência, banco do motorista com ajuste elétrico, recuperação de energia cinética, roteador wi-fi, sistema de som premium Alpine, entre muitos outros.

Jeep híbrido

Ficha Técnica – Jeep híbrido

Carroceria – Jeep SUV;

Porte – Médio;

Portas – 4;

Motor – 1.3 Turbo Híbrido;

Cilindros – 4 em linha;

Válvulas por cilindro – 4;

Posição – Transversal;

Combustível – Flex;

Potência – 180 cv;

Cilindrada – 1332 cm³;

Torque máximo combinado – 47,9 kgfm a 1750 rpm;

Potência Máxima – 5750 rpm;

Tração – Integral sob demanda;

Alimentação –  Injeção Direta;

Direção – Elétrica;

Câmbio – Automático de 6 marchas;

Embreagem – Conversor de torque;

Freios – ABS Disco ventilado nas rodas dianteiras e disco sólido nas rodas traseiras;

Peso – 1908 kg;

Controle de tração – Sim;

Controle de estabilidade – Sim;

Comprimento – 4404 mm;

Distância entre-eixos – 2636 mm;

Largura – 1819 mm;

Altura – 1645 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 6,8 Segundos;

Velocidade máxima – 206 km/h;

Consumo: Cidade 25,4 km/l – Estrada 24,2 km/l;

Porta malas – 420 Litros;

Carga útil – 400 kg;

Autonomia motor elétrico – 44 km

Tanque de combustível – 36 Litros;

Jeep híbrido

Carros antigos

Caminhonete D10, a arma da GM para enfrentar o Ford F-1000 Elba carro – Chega ao Brasil o SW da família Uno, que tirou o sono dos SW Compacto VW e GM Fiat Oggi CSS 1.4 1984 conheça o Esportivo da Família 147 Vectra Elegance, em 2009 o médio de luxo da Chevrolet ainda causava frisson Toyota Paseo, conheça o cupê compacto da montadora japonesa Corsa 99, a versão Super do popular mais confortável da década de 1990 Opala 6 caneco, a versão standard de 1979 customizada Saveiro 96, o fim da bem sucedida geração quadrada se aproximava Chrysler Neon 2000, o início do fim, do médio de elite, hoje um raro colecionável Vectra 97, nunca restaurado, a versão CD 16V, com teto solar e câmbio automático

CONTATO Fale Com o Motor Tudo no Facebook.

Carros antigos