Fusca pé de boi, uma resposta da Volkswagen a irmã pobre DKW

Compartilhe

O Fusca pé de boi, foi um projeto da Volkswagen em resposta ao lançamento do DKW Pracinha, uma parceria entre a irmã pobre da VW e o governo federal. Na Alemanha ambas as empresas, compartilhavam o mesmo grupo a Auto Union, composta pela VW com parceria direta com o grupo Porsche, a própria DKW, e mais duas montadoras subsidiárias locais.

No Brasil, a DKW tinha uma certa autonomia, por estar sob a concessão do grupo Vemag, mas em 1965 a Auto Union passa a ser propriedade da Volkswagen, e inicia o processo do nascimento da Audi e a dissolução da DKW, tanto na Europa como no Brasil.

Mas ainda em 1965/66, é lançado o DKW Pracinha, uma parceria financiada pelo Governo Federal, para atender ex combatentes da segunda guerra e descendentes, que se tronaria o carro mais básico e barato do Brasil. A irmã rica Volkswagen, que na prática já era a proprietária da DKW, mas ainda tinha que cumprir o contrato com a Vemag até o final de 1967, não deixou barato.

No mesmo período, a Volkswagen entra no mesmo projeto do governo, e lança o Fusca pé de boi, termo usado até os dias de hoje, para carros seminovos e zero km com poucos equipamentos de conforto e segurança. O modelo da VW acabou se superando, se tronou o mais pelado do Brasil, superando em simplicidade o irmão DKW.

Mas para quem não tem muita familiaridade com a família Fusca, fica uma pergunta. Como um carro que já era tão simples e básico, conseguiu ter menos itens ainda? A montadora retirou coisas que entendia como supérfluas para a época. Frisos, retrovisores e piscas dianteiros, emblema VW, o acabamento externo ficou sem as partes cromadas, tudo pitado em branco como os para-choques sem a parte superior “cabide”.

Pintura disponível em duas cores, cinza claro e azul. No acabamento interno o painel não tinham os detalhes cromados, os bancos eram feitos com um material de menor qualidade e não existia tampa do porta-luvas e tampa do porta-malas que ficava atrás do banco traseiro.

A unidade da nossa matéria é o famoso Fusca pé de boi, do ano de 1966, equipado com o motor 1200, entregando 36 cv, torque máximo de 8,7 kgfm a 2800 rpm, velocidade final real de 95 km/h, aceleração de 0 a 100 N/D. Quanto ao consumo na cidade fazia 9 km/l e na estrada 13 km/l.

Acabamento Externo

Faróis –  Redondos, de lentes boleadas, embutidos em uma moldura cromada.

Setas dianteiras – Não;

Para – choques –  Em lâminas de aço carbono;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – Frisada abaixo do vidro traseiro;

Retrovisores Externos – Não;

Frisos – Não;

Rodas – Rodas de aço tradicionais da família VW, com calotas cônicas branca;

Maçanetas – Cromadas;

Logo – Não;

Lanterna Traseira – Em cor única sem luz de ré;

Bagageiro – Opcional;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores básicos em escala circular, embutidos em uma moldura cromada;

Conta – giros – Não;

Acabamento do painel – Em metal na cor da carroceria, com friso metálico ao centro;

Volante – De dois raios, com meia lua cromada para acionamento de buzina, e o brasão Wolfsburg ao centro;

Sistema de som – Não;

Ventilador – Não;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – Não;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Não;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em vinil plástico;

Acabamento das portas – Em madeira cortiça;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Emborrachado;

Porta-malas – Aço;

Ficha Técnica – Fusca pé de boi – Do ano de 1966

Carroceria – Sedã;

Porte – Compacto;

Portas – 2;

Motor – VW Boxer 1200;

Cilindros – 4 Opostos na horizontal;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Tuchos – Mecânicos;

Tração – Traseira;

Combustível – Gasolina;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 4 velocidades, alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a tambor nas quatro rodas;

Peso – 780 KG;

Comprimento – 4070 mm;

Distância entre-eixos – 2400 mm;

Potência – 36 cv;

Cilindrada – 1192 cm³;

Torque máximo – 8,7 kgfm a 2800 rpm;

Potência Máxima – 4600 rpm;

Aceleração de 0 a 100 – N/D;

Velocidade máxima – 95 km/h;

Consumo: Cidade 9 KM/L – Estrada 13 km/l;

Autonomia: Cidade 293 km – Estrada 490 km;

Porta malas – 141 Litros;

Carga útil – 380 kg;

Tanque de combustível – 41 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 58.990,00.

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Deixe um comentário