Fim da farra do petróleo no Brasil e no mundo, GM anuncia que só produzirá carros elétricos

Compartilhe

A GM anuncia oficialmente que no máximo em 14 anos, só produzirá veículos elétricos, Volkswagen e outras montadoras já dão os mesmos sinais

No início de 2020, a Volkswagen começou a descontinuar alguns modelos na Europa, América do Sul e em outros continentes, e não fez a menor questão, de esconder o motivo. A montadora já esta abrindo espaço para a nova realidade, a produção em massa de veículos elétricos.

O que se sabe realmente, é que o VW Kombi e VW Fusca, estarão em breve de volta as ruas, mas em uma nova plataforma 100% elétrica.

Após o anúncio do Reino Unido que até 2030, daqui a 9 anos, só será permitido comercializar veículos zero km, 100% elétricos, e até 2050 a proibição total de veículos com motores a combustão nas ruas, a General Motors também fez o seu pronunciamento.

A GM, anunciou essa semana, que até o ano de 2035, terá 100% de sua produção no mundo, de veículos elétricos, colocando fim a geração de motores a combustão.

Nos próximos 4 anos, a montadora vai lançar, 30 novos modelos 100% elétricos. Os utilitários de grande porte, serão os últimos a serem substituídos, com a nova política da empresa.

Estados Unidos também já inicia o processo do fim dos motores a combustão nas ruas. O presidente Biden, já anunciou a substituição dos 645.000 veículos do governo, por unidades 100% elétricas.


Países, como Austrália, Canada, Japão, Estados Unidos, China, e os mais desenvolvidos do continente europeu, já iniciaram o planejamento e toda a logística para a transição econômica. Redução do número de refinarias e petrolíferas, e a relocação de mão de obra e empresas, para a nova realidade.

Mas como fica o Brasil durante a transição?

Na verdade não fica. Um dos poucos países do mundo ao lado das nações subdesenvolvidas da África, América do Sul, entre outras nações, pobres ou em desenvolvimento, que ainda não mexeram um fio de cabelo sobre o assunto.

Com milhares de funcionários, da estatal Petrobrás concursados, ganhando gordos salários, além de empresários ainda com interesse no petróleo aqui no Brasil. A frágil e bagunçada política brasileira, vai esperar para ver o que vai acontecer nos próximos anos.

Sem um projeto iniciado desde 2020, o resultado basicamente já sabemos. Refinarias sucateadas, greve de funcionários do ramo do petróleo e transporte de combustível, e mais um mergulho e novas crises econômicas.

O Brasil já deixou de ser o país do futuro, a 30 anos.

Deixe uma resposta