fbpx
Pular para o conteúdo

Esportivo antigo a geração Ford XR3 CHT deixa evidente o mau planejamento da montadora

Esportivo antigo
Compartilhe

Esportivo antigo a geração Ford XR3 CHT de 1989 ainda fazia a diferença, com um público fiel e amante dos esportivos da montadora americana, as vendas do badalado Escort tanto nas versões de entrada como top de linha estavam e alta.

1988/89 marcou o início da parceria FordWagen, a Autolatina, que por um lado atiçou a curiosidade e os sonhos de muitos brasileiros, o motor mais rápido, robusto e badalado, o AP VW 1.8, finalmente equipava o esportivo mais elegante e bonito do Brasil, nasce o Escort XR3 1.8.

Mas também trouxe a tona muitas perguntas. Por que a montadora chegou ao ano de 1987 com suas plataformas tão desatualizadas, e não seguiu o mesmo caminho da Fiat, Chevrolet e Volkswagen, que trouxeram entre os anos de 1982 e 1984 seus projetos de propulsores da Europa.

Uno, Monza e VW Santana, para a realidade do Brasil eram plataformas bem mais modernas, e com bastante espaço para evoluir. A Ford também tinha um grande leque de opções europeias para trazer novos projetos para nosso pais, mas inexplicavelmente não trouxe.

Em 1980 o Fort Fiesta Europeu, um modelo compacto, é lançado em sua terceira geração, equipado com os eficientes motores Kend 1.1, 1.4 e 1.6. O Ford Escort também na Europa recebe no mesmo ano, sua terceira geração, já com os modernos motores HSC e CVH 1.4, 1.6 e 1.8, que são os antecessores do Zetec, que equipariam toda a frota Ford na Europa a partir de 1989/90.

A alegação era que a Ford passava por problemas financeiros no Brasil, que é no mínimo estranho. A montadora pode realmente ter enfrentado uma fase ruim. Mas estranhamente a Ford vendeu um gigantesco número de carros entre os anos de 1980 e 1984, o Ford Corcel 1.6 com câmbio 5 marchas, Ford Del Rey e o Ford Escort que virou uma febre nacional a partir de 1983.

Os motores Cléon Fonte/CHT 1.6 a álcool, se tornaram os que melhor se adaptaram ao combustível derivado da cana de açúcar no início da década. Entre 1980 e 1983, a espera para comprar um modelo Ford, poderia chegar até 4 meses.

Quem viveu o início da década de 1980, sabe muito bem que para montar um modelo de médio porte de luxo Ford, o custo era basicamente o mesmo da Chevrolet para montar o compacto Chevette. Porem os médios de luxo Ford, principalmente nas versões top de linha, custavam nas concessionárias valores muito próximos das versões intermediárias do GM Opala.

Uma montadora que estava muito a frente em números de unidades emplacadas, de veículos de médio porte de alto custo, em relação aos demais concorrentes, na teoria os lucros Ford eram faraônicos.

Até hoje a pergunta fica no ar. Mas o que saiu errado? Má administração? Ou a Ford Brasil acabou pagando o preço pelos demais países latino americanos que mergulharam na mesma época, em uma enorme crise financeira.

Acabamento Externo

Faróis – Faróis retangulares de lentes planas, boleados nas extremidades;

Setas dianteiras – Embutidas no mesmo conjunto dos faróis;

Para – choques –  Envolventes na cor grafite, com um fino friso vermelho;

Faróis de neblina – Não – Utilizava luzes de longo alcance na parte superior dos para-choques;

Grade de ar do motor – Uma extensão discreta do para-choque dianteiro;

Retrovisores Externos – Estilo panorâmico com ajuste elétrico interno;

Frisos – Emborrachados em toda a extensão lateral com detalhes em vermelho;

Rodas – Rodas de liga-leve 185/60 R14;

Maçanetas – Na cor grafite;

Logo – “Escort XR3; na tampa do porta-malas

Lanterna Traseira – Tricolor com luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Sim;

Limpador do vidro traseiro – Sim;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores em escala circular;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em vinil em tom cinza e grafite;

Volante – Espumado de dois raios;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Opcional;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Sim;

Relógio – Digital no teto;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Elétricos;

Sistema de travamento das portas – Elétrico;

Ajuste dos retrovisores externos – Interno elétrico;

Acabamento dos bancos – Em tecido aveludado;

Acabamento das portas – Em vinil e veludo;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Para dois passageiros nos bancos dianteiros, com regulagem de altura;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Esportivo antigo – Escort XR3 – Ano 1989

Carroceria – Ford Hatch;

Porte – Médio;

Portas – 2;

Motor –  CHT 1.6;

Cilindros – 4 em linha;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Trasnversal;

Combustível – Álcool;

Potência – 86,1 cv;

Peso Torque – 75,2 kg/kgfm;

Cilindrada – 1555 cm³;

Torque máximo – 12,9 kgfm a 4000 rpm;

Potência Máxima – 5600 rpm;

Tração – Dianteira;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 5 velocidades com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – A disco ventilado nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 970 kg;

Suspensão dianteira – Independente, McPherson – Mola helicoidal;

Suspensão traseira – Independente, McPherson – Mola helicoidal;

Comprimento – 4060 mm;

Distância entre – eixos – 2402 mm;

Largura – 1640 mm;

Altura – 1324 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 13,1 Segundos;

Velocidade máxima – 157,5 km/h;

Consumo: Cidade 6,7 km/l – Estrada 10,6 km/l;

Autonomia: Cidade 322 km – Estrada 509 km;

Porta malas – 305 litros;

Carga útil – 380 kg;

Tanque de combustível – 48 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 195.980,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos.

Esportivo antigo
Esportivo antigo

Carros antigos

Caminhonete D10, a arma da GM para enfrentar o Ford F-1000 Elba carro – Chega ao Brasil o SW da família Uno, que tirou o sono dos SW Compacto VW e GM Fiat Oggi CSS 1.4 1984 conheça o Esportivo da Família 147 Vectra Elegance, em 2009 o médio de luxo da Chevrolet ainda causava frisson Toyota Paseo, conheça o cupê compacto da montadora japonesa Corsa 99, a versão Super do popular mais confortável da década de 1990 Opala 6 caneco, a versão standard de 1979 customizada Saveiro 96, o fim da bem sucedida geração quadrada se aproximava Chrysler Neon 2000, o início do fim, do médio de elite, hoje um raro colecionável Vectra 97, nunca restaurado, a versão CD 16V, com teto solar e câmbio automático

CONTATO Fale Com o Motor Tudo no Facebook.

Carros antigos