Muscle Car a grande batalha dos esportivos na década de 1970

Maverick GT V8, Dodge Charger R/T e Opala SS, eles chegaram no início da década de 1970, e travaram uma batalha épica

Hoje conhecidos como Muscle Cars ou carros esportivos antigos, os poderosos 8 e 6 cilindros davam as cartas no glamouroso mercado dos carros de grande porte, para a época eram modelos de alto custo, feito para poucos.

No final da década de 1960, chega ao mercado as primeiras sementes da nova geração brasileira de veículos de grande porte, 1967 Ford Galaxie e em 1968 Chevrolet Opala, com as vendas em alta, as montadoras se empolgaram e aos moldes do mercado norte americano, começou a produção e a batalha por uma fatia do atrativo mercado dos muscle car.

Opala SS 6 1976

O primeiro esportivo a sair da linha de montagem foi o Opala SS em 1971, durante toda a década o modelo era oferecido com dois motores 6 cilindros e 4 cilindros, na carroceria coupé, mas chegou a ser produzida uma versão sedã 4 portas.

Era o modelo que entregava o melhor equilíbrio entre consumo e força, também era o que oferecia melhor estabilidade em curvas de alta e em retas em velocidades acima de 160 KM/k, na versão Opala SS6 entregava 171 CV, atingindo velocidade final de 190 KM/h, era o mais ráido da categoria, e indo de 0 a 100 em 11,7 segundos.

O ponto negativo do modelo Chevrolet, ficava para as contantes manutenções na suspensão dianteira, ponta de eixo e bandeja, aproximadamente após três anos de uso era comum problemas com trincas e fratura do metal.

A ficha técnica comparativa de todos os modelos esta no final do post

Dodge Charger R/T

Dodge Charger R/T nascido em 1971, apenas como Dodge Charger, era um modelo esporte fino com muita força debaixo do capô, mas em 1973 o modelo foi dividido em duas versões, Charger R/T com um visual mais agressivo e esportivo, e Charger LS (Luxo Sport), o muscle car da Chrysler/ Dodge, entregava 215 CV de força, mas o desempenho na prática não era tão melhor que de seus concorrentes, Opala SS e Maverick GT, o problema era que, medindo quase 5 metros de comprimento e pesando mais de 1500 KG, o carro perdia em velocidade final, atingindo 180 KM/h de velocidade final real, 10 KM/h mais lento que o Opala SS e 2 KM/h mais lento que Maverick GT.

Mas o Charger R/T, tinha duas outras vantagens em relação a seus concorrentes, a primeira a agilidade, era o carro nacional mais rápido de 0 a 100 em ótimos 9,7 segundos, praticamente 2 segundos mais rápido que o Opala, e 1 segundo mais rápido que o Maverik GT.

Outra vantagem eram os itens de luxo de série e opcionais, além de um acabamento bem norte americano, com muita qualidade e glamour, era mais comum ver itens como ar – condicionado e vidros elétricos nos modelos Dodge.

Ponto negativo, era o menos estável entre os três muscle car, em curvas de alta, e em retas em velocidades acima de 140 KM/h, com 4960 mm de comprimento e pesando 1525 KG, mais uma suspensão macia e uma direção hidráulica pouco precisa, você corria o risco de ver o mundo girar.

Ford Maverick GT

Ford Maverick GT, o modelo da Ford foi o último a chegar ao mercado, saiu da linha de produção em 1973, também com um estilo bem norte americano, em relação ao tamanho e peso, ficou entre seus concorrentes Opala e Charger, pesando 1390 KG e medindo 4580 mm, atingia velocidade final de 182 Km/h, indo de 0 a 100 em 10,8 segundos.

Em curvas de alta, e em retas em velocidade acimas de 140 KM/h era menos estável que o Opala SS, porém um pouco mais equilibrado que o Dodge Charger R/T.

O ponto negativo ficava para o consumo, era um beberrão compulsivo, 4,5 KM/L na cidade e 6 Km/L na estrada, mas se estivesse com peso ou com sistema de alimentação desregulado, você podia fazer até 1 KM/L na cidade.

Ficha técnica comparativa dos três modelos no ano de 1976

Opala SS 1976

Motor: Chevrolet 4.1 Cód 250-S;

Cilindros: 6 em linha;

Potência: 171 CV – 32,5 kgfm a 2600 rpm;

Peso: 1172 KG;

Velocidade final: 190 KM/h – De 0 a 100 em 11,7 Segundos;

Consumo: Cidade 6 KM/L – Estrada 8 Km/L.

Dodge Charger R/T 1976

Motor: Dodge 5.2 código LA 318;

Cilindros; 8 em V

Potência: 215 CV – 42,9 kgfm a 2400 rpm;

Peso: 1525 KG;

Velocidade final: 180 KM/h – De 0 a 100 em 9,5 Segundos;

Consumo: Cidade 8 KM/L – Estrada 8 Km/L.

Maverick GT V8 – 1976

Motor: Ford Windsor código 302;

Cilindros; 8 em V

Potência: 197 CV – 39,5 kgfm a 2400 rpm;

Peso: 1390 KG;

Velocidade final: 182 KM/h – De 0 a 100 em 10,8 Segundos;

Consumo: Cidade 4,5 KM/L – Estrada 6 Km/L.

Um comentário sobre “Muscle Car a grande batalha dos esportivos na década de 1970”

  1. Você está estabelecendo esses números com base no famigerado comparativo da 4 Rodas de 1976, não é mesmo? Porque eu sou colecionador. Tenho, entre alguns outros carros (Landau, Mustang e Oldsmobile Cutlass), um Maverick Gt ano 1976 na belíssima cor Laranja 750 e tenho um Opala SS 6CC 250-S autêntico de plaqueta, na cor Azul Hawai e posso te afirmar, categoricamente, que original vs original o Maverick Gt anda mais. Tanto em arrancada quanto em final. Motor V8 do Maverick tem mais torque. Opala anda bem perto, mas não leva essa.

Deixe uma resposta para Ewerton Cancelar resposta