VW Zé do Caixão 1600 L 1969 Com acabamento interno esporte fino puro bom gosto

O antecessor do Voyage, não era um líder em vendas, mas era um dos preferidos dos taxistas e fãs de sedãs compactos, um modelo simpático e elegante

No mercado desde o final da década de 1960, fazia parte da família VW 1600, SW Variant, hatchback TL e já na década de 1970 SP1 e 2, a versão VW Zé do Caixão 1600 L 1969, era o modelo sedã três volumes da família, oferecia como opcional um acabamento interno diferenciado, apinel com forração em imitação de madeira jacarandá, bancos e acabamento das portas na cor marrom em imitação de couro, além de detalhes cromados que davam um visual esporte fino.

O modelo nunca caiu na graça do público família, que dava preferencia a linha Fusca e aos outros integrantes da família VW 1600, mas por ser um modelo 4 portas, acabou caindo nas graças de taxistas e frotistas, a montadora entendendo a tendência de mercado, oferecia um algo a mais no visual.

Desempenho

O motor VW 1600 entregava bons 60 CV de força, e era montado na famosa posição “Baixa”, que dava um torque mais suave, diminuindo levemente o nível de ruído interno.

O câmbio 4 marchas era e engates precisos, mas de relações longas, sem muita elasticidade, mas era o suficiente para o trabalh na área urbana.

Na cidade era suficientemente ágil para um modelo compacto da época, na estrada atingia velocidade final de 131 KM/h reais, um bom número para um sedã 4 portas compacto, mas em retomadas e em ultrapassagens faltava fôlego.

O conjunto, carroceria, chassis e suspensão, também era de desempenho modesto, em curvas de alta com o carro pesado era sempre bom o motorista ficar atento a saídas repentinas de pista.

Acabamento Externo

Frente quadrada, com faróis retangulares na horizontal;

Setas embutidas no para-lama dianteiro;

Para-choques em lâminas de aço carbono, cromados;

Retrovisores cromados estilo raquete, com ajuste manual;

Friso lateral metálico em toda a extensão lateral;

Logo VW na frente do capô dianteiro;

Vidro traseiro lateral bipartido, estilo quebra vento;

Lanterna traseira retangular tricolor, com luz de ré;

Rodas de aço tradicionais família VW, com lindas calotas cromadas,

Logo VW 1600 L na tampa traseira.

Acabamento Interno

Painel com mostradores básicos, em escala circula + relógio analógico;

Forração do painel em imitação de madeira jacarandá;

Volante de plástico injetado, com meio aro cromado ao centro, para acionamento da buzina;

Radio AM – opcional;

Acendedor de cigarro;

Cinzeiro embutido no painel;

Porta – luvas com tampa;

Cinzeiros cromados embutido nas portas traseiras;

Acabamento de bancos e portas em vinil, na cor marrom;

Assoalho e porta malas emborrachados, com tapetes aveludados.

Ficha Técnica – VW Zé do Caixão 1600 L 1969

Carroceria sedã;

Porte Compacto;

4 portas;

Motor VW Boxer baixo, 1600 refrigerado a ar;

Cilindros 4 opostos;

Longitudinal;

Tuchos Mecânicos;

Tração Traseira;

Combustível Gasolina;

Direção Simples;

Câmbio manual de 4 marchas;

Embreagem monodisco a seco;

Freios a tambor nas 4 rodas;

Peso 862 KG;

Potência 60 CV;

11,5 kgfm a 2400 rpm;

Potência Máxima 4600 RPM;

De 0 a 100 – 41,2 Segundos;

Velocidade máxima 131 KM/h;

Consumo na Cidade 7 KM/L – Estrada 8 KM/L;

Autonomia: Cidade 287 Km – Estrada 328 KM;

Motor Tudo – VW Zé do Caixão 1600 L 1969

Carros Clássicos Brasil – VW 1600

3 comentários sobre “VW Zé do Caixão 1600 L 1969 Com acabamento interno esporte fino puro bom gosto”

  1. Muito lindo o carro da foto. A qualidade e a conservação mantidas pelos colecionadores me deixam fascinado. Parabéns! Andei nesses carros, nos tempos da minha infância, na década de 1970. Tal como já comentei aqui, diversos parentes, amigos e conhecidos tiveram Fuscas e seus derivados, e houve também as ocasiões em que andava nos táxis. Lembro de em 1979, na minha primeira viagem mais distante de casa, de São Paulo para o Rio de Janeiro, o táxi um TL, com o motorista, mais um adulto e duas crianças tendo que subir a estrada do Corcovado, mesmo sendo 1600, alguns trechos só em primeira marcha, e com bastante esforço.

  2. Não consigo deixar de admirar esses carros, são muito lindos, e a conservação feita pelos colecionadores, impecável. Adoraria ter um automóvel clássico. Parabéns ao Jairo Kleiser, administrador do Motor Tudo e aos donos dessas máquinas maravilhosas!

Deixe uma resposta