VW Variant 1972 O SW compacto da família brasileira

Compartilhe

No final de 1967 já como modelo 1968, nasce os derivados do Fusca aqui no Brasil, o VW 1600 “Zé do caixão foi o primeiro a sair do forno, já em 1969 nasce a carroceria SW.

O VW Variant foi um dos raros modelos nacionais, que nasceu como um compacto, e em sua segunda geração em 1977 já como modelo 1978, foi reposicionado pela montadora como um modelo médio.

Quando eu era criança, um amigo da minha família tinha uma unidade exatamente igual a da matéria. Ainda me lembro do cheiro do vinil dos bancos, e do chaveiro boleado da chave de contato com o logo VW, tudo era mágico, sem contar a alegria de andar no porta – malas “Tampa do motor” mesmo em dias muito quentes, tudo era festa.

A ramificação da montadora deu muito certo, entre o final da década de 1960 e a primeira metade da década de 1970, houve uma grade visão dos líderes da montadora no Brasil.

No final da década de 1960, os fãs da VW já estavam na segunda ou terceira geração de Fuscas zero km na garagem, um modelo seminovo, somado a um investimento a mais, você teria um Fusca maior e com mais status na sua garagem, o “VW Variant”.

Desempenho

Estabilidade – O conjunto carroceria, chassi e suspensão, era relativamente eficiente, considerando a tecnologia da época. Em curvas de alta com o piso molhado era sempre bom o motorista ficar atendo a saídas de pista, mas em um país onde a grande maioria das vias eram de ruas estreitas de paralelepípedo ou de chão batido, ele tinha a suspensão ideal.

Motor – O motor Volkswagen Boxer 1600, era de manutenção descomplicada, mas em meses mais quentes, era necessário estar em dia com as manutenções de platinado e bobina.

Câmbio – O câmbio do VW chegou ao final da década de 1960, com uma estrutura mais robusta e engates mais eficientes.

Retomadas e ultrapassagens – Atendia as expectativas para um compacto da década de 1970, mas em pistas de mão dupla, coma carga máxima de peso, era sempre bom o motorista negociar bem as ultrapassagens.

Consumo – Para um motor 1600 de um modelo compacto, fazer, 7 km/l na cidade estava dentro do esperado para a época, mais detalhes na ficha técnica no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  Redondos, de lentes duplas na horizontal;

Setas dianteiras – Embutidas no para-choque;

Para – choques –  Cromados, em lâminas de aço carbono;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – Entrada de ar forçado nos para-lamas traseiros;

Retrovisores Externos – Estilo raquete;

Frisos – Fino friso metálico em toda a extensão lateral do carro;

Rodas – Rodas de aço tradicionais da família VW 1600 e lindas calotas cromadas;

Maçanetas – Cromadas;

Logo – “Variant” na tampa do porta – malas;

Lanterna Traseira – Tricolor com luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores básicos em escala circular;

Conta – giros – Não;

Acabamento do painel – Em vinil e aplique em imitação de madeira Jacarandá;

Volante – De plástico injetado de dois raios, com meia lua cromada para acionamento da buzina;

Sistema de som – Opcional;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – N/D;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Opcional;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em vinil;

Acabamento das portas – Em vinil;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Emborrachado;

Porta-malas – Emborrachado;

Ficha Técnica – Volkswagen Variant – 1972

Carroceria – SW;

Porte – Compacto;

Portas – 2;

Motor –  Volkswagen Boxer 1600;

Cilindros – 4 opostos horizontalmente;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 65 cv;

Peso Torque – 79,2 kg/kgfm;

Cilindrada – 1584 cm³;

Torque máximo – 12 kgfm a 3000 rpm;

Potência Máxima – 4600 rpm;

Tração – Traseira;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 4 velocidades com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 950 kg;

Suspensão dianteira – Independente, braço arrastado – Barra de torção;

Suspensão traseira – Independente, semieixo oscilante – Barra de torção;

Comprimento – 4320 mm;

Distância entre-eixos – 2450 mm;

Largura – 1580 mm;

Altura – 1430 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 23,1 Segundos;

Velocidade máxima – 138 km/h;

Consumo: Cidade 7 km/l – Estrada 9 km/l;

Autonomia: Cidade 280 km – Estrada 360 km;

Porta malas – 200 Litros;

Carga útil – Não Informado;

Tanque de combustível – 40 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 76.715,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Deixe uma resposta