Variant 1973 no auge da carreira

Superou o Ford Belina em número de unidades emplacadas, mesmo sendo menos avançada, a Variant dominava o mercado

Durante toda a década de 1970, a Volkswagen dominava pouco mais de 70% do mercado nacional em unidades emplacadas, o VW Variant 1973 era o segundo modelo mais emplacado no início da década, perdendo apenas para o Fusca.

No início da década de 1970 a classe média baixa, operários e gerentes de redes de lojas passaram a ter poder aquisitivo para comprar carros zero KM ou seminovos e existia uma forte cultura no mercado brasileiro que era, “vai comprar seu primeiro carro, compra um Fusca”, na prática os derivados da família Fusca, toda a linha VW 1600 ia no vácuo das vendas.

Espaçosa, de manutenção descomplicada e um preço abaixo de seu principal concorrente, o Volkswagen Variant, só começou a ter quedas nas vendas a partir de 1974, segundo ano de produção do VW Brasília, o hatch compacto, mesmo sendo de um seguimento diferente, roubou uma fatia bastante significativa da irmã SW.

Desempenho

O motor VW 1600 na Variant era montado na famosa posição “Baixa”, que dava um torque mais suave, diminuindo levemente o nível de ruído interno.

O câmbio 4 marchas era e engates precisos, mas de relações longas, sem muita elasticidade.

Na cidade era suficientemente ágil para um modelo compacto da época, na estrada atingia velocidade final de 138 KM/h reais, um bom número para uma estrutura já ultrapassada, mas em retomadas e em ultrapassagens faltava fôlego.

O conjunto, carroceria, chassis e suspensão, também era de desempenho modesto, em curvas de alta, com o carro pesado era sempre bom o motorista ficar atento a saídas repentinas de pista.

Acabamento Externo

Frente com faróis redondos duplos na horizontal, embutidos com recuo;

Para – choques em finas lâminas de aço carbono, cromados, com friso emborrachado;

Setas dianteiras embutidas no para – choque;

Rodas de aço tradicionais da família VW 1600, com calotas de plástico pretas ao centro;

Retrovisor metálico cromado, estilo raquete, com ajuste manual;

Maçanetas cromadas;

Entrada de ar lateral para o motor;

Lanternas traseiras retangular de lente plana, tricolor, com luz de ré.

Logo Variant na tampa do porta – malas.

Acabamento Interno

O modelo aqui do post, vem com bancos com encosto de cabeça, colocado pelo proprietário;

Painel com mostradores básicos, em escala circula;

Forração do painel em vinil preto;

Volante de plástico injetado, estilo canoa;

Radio AM – opcional;

Acendedor de cigarros com aro luminoso;

Cinzeiro embutido no painel;

Porta – luvas com tampa;

Cinzeiro embutido na parede lateral do banco traseiro;

Acabamento de bancos e portas em vinil, tecido aveludado opcional;

Assoalho e porta malas emborrachados.

Ficha Técnica – Variant 1973

Cor Vermelho Malaga;

Carroceria SW;

Porte Compacto;

2 portas;

Motor VW Boxer baixo, 1600 refrigerado a ar;

Cilindros 4 opostos;

Longitudinal;

Tuchos Mecânicos;

Tração Traseira;

Combustível Gasolina;

Carburador dupla;

Direção Simples;

Câmbio manual de 4 marchas;

Embreagem monodisco a seco;

Freios a tambor nas 4 rodas;

Peso 950 KG;

Potência 65 CV;

12 kgfm a 3000 rpm;

Potência Máxima 4600 RPM;

De 0 a 100 – 23,1 Segundos;

Velocidade máxima 138 KM/h;

Consumo Consumo na Cidade 7 KM/L – Estrada 9 KM/L;

Autonomia: Cidade 280 Km – Estrada 360 KM;

Porta malas 200 Litros;

Carga útil Não informado;

Tanque de combustível 40 Litros;

Preço atualizado R$ 58.731,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária.

Motor Tudo – Variant 1973

Carros Antigos – Volkswagen 1600

Um comentário sobre “Variant 1973 no auge da carreira”

  1. Meu pai teve duas, uma prata e uma azul claro, a primeira de 1972, tirada zero quilômetro. Até que tinha linhas bonitas para a época. Com o tempo passando, e tendo visto versões melhoradas do Fusca, além da reportagem que vi no Oficina Motor, dos Fuscas/Porsche, se pudesse compraria uma, para dar um upgrade, na motorização, subindo a potência, nos bancos, colocando mais modernos, e na suspensão, colocando amortecedores a gás. Vi Variants tunadas, super equipadas, em comunidades do Facebook e em blogs. Infelizmente, custa uma grana fazer tudo isso, mas é um sonho que vou alimentando. Nada mal se pudesse colocar ar condicionado, também. Depois que nos acostumamos a esse tipo de conforto, é difícil ficar sem, ainda mais em certos dias de calor intenso.

Deixe uma resposta