Santana 1.8 GLS Automático 1988 Líder em seu seguimento

Ele chegou na segunda metade da década de 1980 com um novo visual, e finalmente superava seu principal concorrente entre os mais emplacados

O VW Santana 1.8 GLS Automático 1988, já não era mais a versão top de linha da família Passat / Santana, com a chegada do motor 2.0 naquele ano, a versão GLS 2.0 assumiu o posto e ajudou a liderar o mercado dos médios no Brasil.

A Ford dominou o mercado dos médios entre 1981 e 1983 com a família Corcel / Del Rey, a chegada do badalado Chevrolet Monza mudou o curso da história, entre 1984 até o primeiro semestre de 1987, o sedã da GM dominou não apenas o mercado dentro de seu segmento, mas também foi o modelo mais emplacado do Brasil no ano de 1985.

O modelo Volkswagen Santana GLS 1.8 Automático de 1988, vinha de série com os mesmos itens de luxo da versão top de linha, Ar-condicionado, direção hidráulica, travas, vidros, retrovisores e abertura dos portas malas todos com acionamento elétrico, além de rádio toca fitas digital e as exclusivas rodas de liga leve.

Desempenho

O motor AP 1.8 ainda carburado, vinha oficialmente com 99 CV de força mas na prática podia chegar até 107 CV, dando ao carro um bom desempenho tanto na cidade quanto na estrada.

O câmbio automático dava ao motorista mais conforto e praticidade, mas perdia em agilidade na cidade, na década de 1980, a tecnologia no Brasil de para câmbio automatizados ainda era deficiente.

Em velocidades acima de 120 KM/h o motor se mantinha estável sem passar vibrações para a carroceria, a estrutura do Santana era moderna para a época, mantendo o carro estável em curvas de alta e em altas velocidades nas retas.

Acabamento Externo

Frente com faróis embutidos em um mesmo conjunto com luz de longo alcance.

Para-choques envolventes.

Setas dianteiras embutidas no para-choque.

Logo “GLS” na lateral dos para-lamas dianteiro.

Friso emborrachado com um fino friso metálico na lateral.

Friso metálico no contorno dos para-lamas.

Retrovisores panorâmicos com controle interno elétrico.

Rodas de liga-leve exclusivas família Santana GLS – 185/70 R13.

Lanternas traseiras retangulares tricolor.

Friso traseiro com os logos “Santana GLS”.

Acabamento Interno

Painel com mostradores em escala circular + com conta giros.

Acabamento de bancos e portas em tecido aveludado.

Encosto de cabeça com regulagem de altura nos bancos dianteiros e traseiros.

Banco traseiro bipartido com apoio de braço.

Volante espumado de 4 raios, modelo executivo.

Rádio toca fita digital AM/FM.

Compartimento para fitas K7.

Acendedor de cigarros.

Cinzeiro.

Ar-condicionado.

Ar – quente.

Vidros, travas e retrovisores elétricos.

Acionamento da tampa do porta-malas por comando elétrico.

Desembaçador elétrico do vidro traseiro.

Ficha Técnica – Santana 1.8 GLS Automático 1988

Carroceria Sedã;

Porte Médio;

4 portas;

Motor AP 1.8;

Cilindros 4 em linha;

Tuchos mecânicos;

Tração dianteira;

Combustível álcool;

Carburador;

Direção Hidráulica;

Câmbio Automático 3 velocidades;

Acoplamento – Conversor de torque;

Freios a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso 1140 KG;

Potência 99 CV Oficial, mas na prática entregava em média 107 CV;;

16,3 kgfm a 3400 rpm;

Potência Máxima 5200 RPM.

De 0 a 100 – 13 Segundos;

Velocidade máxima 165 KM/h;

Consumo na Cidade 5,3 KM/L – Estrada 9 KM/L;

Autonomia: Cidade 460 KM – Estrada 712 Km;

Porta malas 413 Litros;

Carga útil 485 KG;

Tanque de combustível 75 Litros;

Motor Tudo – Santana 1.8 GLS Automático 1988

Carros Antigos – Santana Quadrado

Please follow and like us:

Deixe uma resposta