Santana 1.8 GLS Automático 1988 Líder em seu segmento

Compartilhe

Ele chegou na segunda metade da década de 1980 com um novo visual, e finalmente superava seu principal concorrente entre os mais emplacados

O VW Santana 1.8 GLS Automático 1988, já não era mais a versão top de linha da família Passat / Santana, com a chegada do motor 2.0 naquele ano, a versão GLS 2.0 assumiu o posto e ajudou a liderar o mercado dos médios no Brasil.

A Ford dominou o mercado dos médios entre 1981 e 1983 com a família Corcel / Del Rey, a chegada do badalado Chevrolet Monza mudou o curso da história, entre 1984 até o primeiro semestre de 1987, o sedã da GM dominou não apenas o mercado dentro de seu segmento, mas também foi o modelo mais emplacado do Brasil no ano de 1985.

O modelo Volkswagen Santana GLS 1.8 Automático de 1988, vinha de série com os mesmos itens de luxo da versão top de linha, Ar-condicionado, direção hidráulica, travas, vidros, retrovisores e abertura dos portas malas todos com acionamento elétrico, além de rádio toca fitas digital e as exclusivas rodas de liga leve.

Desempenho

O motor AP 1.8 ainda carburado, vinha oficialmente com 99 cv, mas na prática podia chegar até 107 CV, dando ao carro um bom desempenho tanto na cidade quanto na estrada.

O câmbio automático dava ao motorista mais conforto e praticidade, mas perdia em agilidade na área urbana, na década de 1980, a tecnologia no Brasil para câmbios automáticos ainda era deficiente.

Em velocidades acima de 120 km/h o motor se mantinha estável sem passar vibrações para a carroceria, a estrutura do Santana era moderna para a época, mantendo o carro estável em curvas de alta e em altas velocidades nas retas.

Acabamento Externo

Frente com faróis embutidos em um mesmo conjunto com luz de longo alcance.

Para-choques envolventes.

Setas dianteiras embutidas no para-choque.

Logo “GLS” na lateral dos para-lamas dianteiro.

Friso emborrachado com um fino friso metálico na lateral.

Friso metálico no contorno dos para-lamas.

Retrovisores panorâmicos com controle interno elétrico.

Rodas de liga-leve exclusivas família Santana GLS – 185/70 R13.

Lanternas traseiras retangulares tricolor.

Friso traseiro com os logos “Santana GLS”.

Acabamento Interno

Painel com mostradores em escala circular + com conta giros.

Acabamento de bancos e portas em tecido aveludado.

Encosto de cabeça com regulagem de altura nos bancos dianteiros e traseiros.

Banco traseiro bipartido com apoio de braço.

Volante espumado de 4 raios, modelo executivo.

Rádio toca fita digital AM/FM.

Compartimento para fitas K7.

Acendedor de cigarros.

Cinzeiro.

Ar-condicionado.

Ar – quente.

Vidros, travas e retrovisores elétricos.

Acionamento da tampa do porta-malas por comando elétrico.

Desembaçador elétrico do vidro traseiro.

Ficha Técnica – Santana 1.8 GLS Automático 1988

Carroceria Sedã;

Porte Médio;

4 portas;

Motor AP 1.8;

Cilindros 4 em linha;

Tuchos mecânicos;

Tração dianteira;

Combustível álcool;

Carburador;

Direção Hidráulica;

Câmbio Automático 3 velocidades;

Acoplamento – Conversor de torque;

Freios a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso 1140 KG;

Potência 99 CV Oficial, mas na prática entregava em média 107 CV;

16,3 kgfm a 3400 rpm;

Potência Máxima 5200 RPM.

De 0 a 100 – 13 Segundos;

Velocidade máxima 165 KM/h;

Consumo na Cidade 5,3 KM/L – Estrada 9 KM/L;

Autonomia: Cidade 460 KM – Estrada 712 Km;

Porta malas 413 Litros;

Carga útil 485 KG;

Tanque de combustível 75 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 182.782,00 – Valor com todo os opcionais;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Carros Antigos – Santana Quadrado

Deixe um comentário