Porsche 911 S Targa 2.7 1977 na cor amarelo, ostentação e glamour mesmo em países de primeiro mundo

Compartilhe

Existem algumas marcas, que nascem para o sucesso, não falo apenas de automóveis, mas também no segmento de roupas, calçados, perfumes, vinhos e etc. A Porsche, é um dos melhores exemplos de uma marca, que nasceu para ser aclamada e sinônimo de alta posição social

Desde o início dos primeiros projetos, como o Porsche 356, que utilizava a plataforma de um compacto popular, a empresa incrivelmente atingiu o patamar de marca de elite, em um espaço de tempo muito curto, e se tornou na Europa e posteriormente nos Estados Unidos, um carro que entregava, simpatia, robustez, e muita esportividade. Como já citei em outras matérias, o custo de compra de uma unidade zero km, principalmente na Europa, a versão Porsche 911 S Targa 2.7 1977, NÃO tinha um preço estratosféricos, estava ao alcance de comerciantes bem sucedidos, e profissionais liberais. Ao contrário de países, atrasados, bagunçados e de terceiro mundo como o Brasil.

Hoje, 44 anos após sair da linha de montagem, quando o modelo desfila pelas ruas, independente do país, ainda causa um grande frisson. A unidade aqui da matéria vem equipada com o motor Boxer 6 de 175 cv e velocidade final de 229 km/h, a carroceria na cor Amarelo Claro, conhecida em países de língua inglesa, durante a década de 1970 como Signal Yellow.

Desempenho

Estabilidade –  Para um esportivo de elite, sem dúvida, tanto a suspensão, como a distribuição de peso, foram desenvolvidas para alcançar um alto desempenho, em curvas de alta, em retas, em velocidades acima de 200 km/h, com muita eficiência.

Motor –  Utilizando o motor Porsche Boxer 6 de 175 cv, e 6 cilindros, era robusto e muito confiável, com aceleração de 0 a 100 em 6,5 segundos.

Câmbio –  O câmbio manual de 5 marchas, era de relações curtas e engates precisos, não importava a situação ou o terreno, ele nunca falhava.

Retomadas e ultrapassagens – Com um motor elástico com muito fôlego, que respondia muito bem ao pedal do acelerador, era um dos carros mais eficiente do mundo.

Consumo –  Para um esportivo de elite, com um motor de 6 cilindros, fazer 5,5 km/l era o que menos importava.

Acabamento Externo

Faróis –  Faróis com circunferência oval, de lentes boleadas;

Setas dianteiras – Embutidas acima do para – choque;

Para – choques –  Envolventes na cor da carroceria, com friso emborrachado;

Faróis de neblina – Sim;

Grade de ar do motor – Entrada de ar na tampa traseira;

Retrovisores Externos – Panorâmicos, com ajuste elétrico interno;

Frisos – Não;

Rodas – Tradicionais família Porsche;

Maçanetas – Na cor grafite;

Logo – “911 S Targa”, Na tampa traseira;

Lanterna Traseira – Bicolor com luz de ré, com extensão em toda a circunferência da tampa traseira;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Carroceria Targa / Conversível;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com diversos mostradores em escala circular;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em couro em tons grafite;

Volante – Espumado de três raios, com acabamento em couro, costurado a mão;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Sim;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Sim;

Relógio – Analógico;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Elétrico;

Sistema de travamento das portas – Elétrico;

Ajuste dos retrovisores externos – Interno elétrico;

Acabamento dos bancos – Em couro;

Acabamento das portas – Em couro e carpete;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Com cinto de segurança de três pontos, para dois passageiros;

Encosto de cabeça – Para dois passageiros embutidos nos bancos dianteiros;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Porsche 911 S Targa 2.7 1977

Carroceria – Targa / Conversível;

Porte – Grande;

Portas – 2;

Motor –  2.7 Boxer 6 refrigerado a ar;

Cilindros – 6 opostos horizontalmente;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 175 cv;

Peso Torque – N/D kg/kgfm;

Cilindrada – 2687 cm³;

Torque máximo – 23,5 kgfm a N/D rpm;

Potência Máxima – 5800 rpm;

Tração – Traseira (RWD);

Alimentação –  Bosch K-Jetronic fuel injection;

Direção – Rack and pinion;

Câmbio – Manual de 5 marchas com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freios a disco ventilado nas 4 rodas;

Peso – 1080 kg;

Suspensão dianteira – Torsion bar;

Suspensão traseira – Torsion bar;

Comprimento – 4290 mm;

Distância entre-eixos – 2268 mm;

Largura – 1610 mm;

Altura – 1320 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 6,5 Segundos;

Velocidade máxima – 229 km/h;

Consumo: Cidade 5,5 km/l – Estrada 10,5 km/l;

Autonomia: Cidade N/D km – Estrada N/D km;

Porta malas – N/D Litros;

Carga útil – N/D kg;

Tanque de combustível – 80 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 500.302,00 – Sem considerara taxas de importações da época + documentação;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.joi

Deixe uma resposta