Opala Standard 1980 Uma versão de entrada com um acabamento requintado

Mesmo na versão básica o modelo de grande porte da Chevrolet, chega a década de 1980, entregando muito bom gosto e requinte

De cara nova, com o tradicional visual quadrado, novos faróis e novas lanternas, deixou o modelo mais atraente e jovem, por dentro ainda não havia recebido um novo upgrade no visual, mantinha o mesmo painel e o mesmo acabamento de bancos e portas, mas a versão de entrada, o Opala Standard 1980, vinha com opcional para acabamento interno monocromático e couro nas portas e paredes do banco traseiro.

Ele foi o único entre os muscle cars, que saiu ileso da crise do petróleo, provou que equilíbrio vale mais que a força bruta, o modelo aqui do post, também ganhou do seu proprietário, rodas de liga – leve 195/70 R14, da recém chegada versão top de linha, o poderoso Diplomata, um coupé com acabamento monocromático e rodas de liga – leve, com certeza era uma grande atração, um carro para poucos.

Desempenho

O motor Chevrolet 2.5 de 4 cilindros, entregava bons 98 CV de força na versão a gasolina, chegando a 155 Km/h reais de velocidade final, a confiabilidade do motor Chevrolet 151-S, de 4 cilindros era um dos principais atributos, em 1980 as manutenções ainda eram de um modelo de alto custo, mas já acessível a classe média baixa.

Mesmo em altas rotações o motor se mantinha estável sem passar vibrações para o interior do carro, esse era outro pontos forte da marca, estável e silencioso mesmo em altas velocidades.

Na cidade era relativamente ágil, indo facilmente de 0 a 100 em 17 segundos.

O consumo era considerado bastante aceitável para um carro de grande porte, que pesava mais de 1200 KG, em média 8 KM/L na cidade.

A estrutura da carroceria coupé do Opala, tinha um peso muito bem distribuído, mesmo em curvas de alta, entregava uma ótima relação entre segurança e conforto, em retas era um dos raros carros nacionais, que mesmo em velocidades acima de 140 KM/h se mantinha colado no asfalto.

Acabamento Externo

Frente com faróis quadrados, embutidos em um mesmo conjunto com a seta;

Grade de ar preta, com frisos na horizontal, e a gravata Chevrolet embutida;

Para – Choques em lâminas de aço carbono, cromados, com friso emborrachado na frente;

Retrovisores de plástico, com ajuste manual;

Rodas de liga – leve 195/70 R14, as originais seriam rodas de aço;

Maçanetas cromadas;

Grandes e eficientes lanternas traseiras bicolor, com luz de ré.

Logo “Chevrolet” na tampa do porta – malas.

Acabamento Interno

Painel em vinil e fundo de aço, na cor marrom, com mostradores básicos em escala circular + relógio analógico.

Volante de plástico injetado, de dois raios, estilo canoa.

Ventilador.

Ar – quente.

Acendedor de cigarros e cinzeiro embutido no painel.

Acabamento das portas e paredes do banco traseiro em couro marrom.

acabamento dos bancos em tecido marrom aveludado.

Acionamento dos vidros manual basculante.

Assoalho e porta malas acarpetados.

Ficha Técnica – Opala Standard 1980

Carroceria coupé;

Porte grande;

2 portas;

Motor Código 151-S;

Cilindros 4 em linha;

Longitudinal;

Tuchos hidráulicos;

Tração dianteira;

Combustível Gasolina;

Carburador;

Direção Simples;

Câmbio manual de 4 marchas;

Embreagem monodisco a seco;

Freios a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas  traseiras;

Peso 1120 KG;

Comprimento 4671 mm;

Distância entre-eixos 2667 mm;

Potência 98 CV;

Cilindrada 2471 cm³;

Torque máximo 19,8 kgfm a 2600 rpm;

Potência Máxima 4800 RPM;

De 0 a 100 – 17 Segundos;

Velocidade máxima 155 KM/h;

Consumo na Cidade 8 KM/L – Estrada 11 KM/L;

Autonomia: Cidade 520 KM – Estrada 715 KM;

Porta malas 430 Litros;

Carga útil Não Informado;

Tanque de combustível 65 Litros;

Preço atualizado Não Informado;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

Motor Tudo – Opala Coupé

Deixe uma resposta