Opala Diplomata Coupé Maestro 1985

Compartilhe

Em 1985 o Opala Diplomata era o carro mais luxuoso, potente e desejado do Brasil, apenas equiparado ao Alfa Romeo 2300, que já estava prestes a sair de linha

A versão Opala Diplomara Maestro 1985, ganhou esse adjetivo, no ano de 1987 graças ao comercial de TV, com o Maestro Diogo Pacheco.

A versão top de linha da família Opala, reinou absoluto no mercado dos modelos de grande porte, igualado ou superado em alguns quesitos, apenas pelo Alfa Romeo 2300, mas o carro de luxo da Fiat além de estar perto de ser descontinuado, era muito caro, tanto no preço de venda, como nas manutenções preventivas e corretivas.

Com o reinado garantido, a Chevrolet cuidou apenas de atualizar o que já era quase insuperável. O modelo Cupê 2.5, era rápido, tanto na estrada quanto na cidade, já equipado com ignição eletrônica e alternador de alta capacidade, trazia o luxo de uma versão top de linha, aliado a novas tecnologia.

O acabamento interno, era o melhor do mercado, bancos anatômicos aveludados, painel com mostradores quadrados de fácil visualização, opcional para vidros elétricos, ar-condicionado e direção hidráulica, itens extremamente raros nos anos 1980.

O nível de ruido interno, principalmente na estrada, era o mais baixo entre os carros nacionais, além de uma suspensão macia e muito eficiente, um verdadeiro navegador silencioso.

Desempenho

O motor Chevrolet 2.5 de 4 cilindros, entregava bons 88 cv de força na versão a álcool, e 155 Km/h de velocidade final.

Mesmo em altas rotações o motor se mantinha estável sem passar vibração para o interior do carro, esse era um dos pontos fortes da marca, estável e silencioso mesmo em altas velocidades.

Na cidade entregava uma boa aceleração, indo de 0 a 100 em 14,7 segundos.

O consumo ficava dentro do esperado para um carro de grande porte a álcool, que pesava mais de 1200 kg, em média 5,3 km/l na cidade.

A estrutura da carroceria cupê do Opala, tinha um peso muito bem distribuído, mesmo em curvas de alta, entregava uma boa relação entre segurança e conforto.

Acabamento Externo

Frente com faróis quadrados, embutidos em um mesmo conjunto com luz de longo alcance e as setas;

Grade de ar do motor na cor do carro, com frisos na horizontal, e a gravata Chevrolet embutida;

Para – Choques em lâminas de aço carbono, na cor grafite, com friso emborrachado na frente;

Largo friso emborrachado em toda a extensão lateral, com detalhe cromado e com o logo “Diplomata”, dando um visual executivo ao carro;

Retrovisores satélite, com ajuste mecânico interno;

Rodas de liga – leve 195/70 R14;

Maçanetas pretas;

Grandes e eficientes lanternas traseiras tricolor, com luz de ré.

pintura da carroceria em dois tons de cinza;

Acabamento Interno

Painel com mostradores em escala quadrada, + conta – giros;

Volante executivo de 2 raios, espumado;

Rádio toca – fitas AM/FM, digital;

Acendedor de cigarros;

Cinzeiro embutido no painel;

Ar – condicionado – Opcional;

Ventilador de três velocidades;

Ar – quente;

Luz de leitura para os passageiros da frente;

Acabamento das portas em vinil e tecido aveludado;

Acionamento dos vidros e travas elétricas;

Acabamento dos bancos em tecido aveludado;

Encosto de cabeça com regulagem de altura para 4 passageiros;

Apoio para o braço no banco traseiro;

Assoalho acarpetado;

Porta – malas acarpetado;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro.

Ficha Técnica – Opala Diplomata Maestro 1985 – 2.5 4 cilindros

Carroceria – Cupê;

Porte – Grande;

Portas – 2;

Motor –  2.5 Cód 151;

Cilindros – 4 em linha;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 88 cv;

Peso Torque – 62,89 kg/kgfm;

Cilindrada – 2471 cm³;

Torque máximo – 19,4 kgfm a 2000 rpm;

Potência Máxima – 4000 rpm;

Tração – Traseira;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Hidráulcia;

Câmbio – Manual de 5 velocidades com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 1220 kg;

Suspensão dianteira – Independente, Braços sobrepostos – Mola helicoidal;

Suspensão traseira – Eixo rígido, barra Panhard – Mola helicoidal;

Comprimento – 4804 mm;

Distância entre-eixos – 2667 mm;

Largura – 1766 mm;

Altura – 1365 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 14,7 Segundos;

Velocidade máxima – 155 km/h;

Consumo: Cidade 5,3 km/l – Estrada 8,3 km/l;

Autonomia: Cidade 445,2 km – Estrada 697,2 km;

Porta malas – 405 Litros;

Carga útil – 420 kg;

Tanque de combustível – 84 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ R$ 187.791,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

Motor Tudo – Opala Diplomata Coupé Maestro 1985.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Carros Clássicos Brasil – Opala

3 comentários sobre “Opala Diplomata Coupé Maestro 1985”

  1. Boa tarde! Eu resgatei um no final do ano passado que necessita de muitos reparos, dada a situação atual. Não considerando que todas as peças e acessórios funcionam, diferente deste das imagens, ele não tem a cor chamada “saia e blusa”, mas é prata. Os retrovisores são elétricos e ele não tem rodas de liga. Apesar de tudo ele está rodando. O carro é muito imponente, até para os dias de hoje. Projeto ousado e deverá ser longo, pois tem muita ferrugem e itens a serem restaurados / substituídos. Gosto muito de ter ele como o projeto, fico buscando itens dele na internet o tempo todo. Estimulante.
    Ótima reportagem. Fico feliz em poder saber mais sobre o carro.
    Saudações!

Deixe um comentário