Mercedes Benz 280 SL 1969 chega ao final da década de 60 em grande estilo

Compartilhe

O segmento coupé / conversível da família Mercedes – Benz, durante a década de 1960, recebeu o nome popular de “PAGODA”, traduzindo para o português “pagode”, uma referência que lembra os telhados curvos dos templos do Extremo Oriente.

O modelo aqui da matéria, retrata muito bem o bom gosto, e a incrível capacidade alemã de construir carros a frente do nosso tempo. Mesmo no continente europeu, ou em países como nos E.U.A, se tornou conhecido pela robustez, visual encantador e tecnologia inovadora.

No ano de 2018 no programa de TV do History Channel, Louco por carros, o apresentador Danny Koker, proprietário da empresa de restauração Count’s Kustoms, disse a seguinte frase. “Somos loucos por nossos carros norte americanos, mas não tem como não admirar a robustez e a qualidade de uma Mercedes – Benz, o povo alemão sabe construir carros”.

Em 1966 a montadora deixava para trás o sistema de injeção mecânica, em 1967 adotava o primeiro sistema de injeção eletrônica, o Bosch D-Jetronic.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto, carroceria, chassi e suspensão, ainda era um dos mais atualizados da época , muito eficiente em curvas de alta, e em retas em velocidades acima de 160 km/h entregava um ótima velocidade de cruzeiro.

Motor –  Utilizando o motor Mercedes 2.8, entregava bons 170 cv, era confiável, mas as manutenções eram de alto custo.

Câmbio –  O câmbio manual, era eficiente, de engates macios e precisos.

Retomadas e ultrapassagens – O potente motor de 2778 cm³, deixava o carro seguro e muito eficiente.

Consumo –  Para um gigante com motor 2.8 de 6 cilindros, atendia as expectativas, fazendo, 8.5 km/l na cidade, conforme mostra ficha técnica completa no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  De lentes boleadas, embutidos em uma moldura cromada.

Setas dianteiras – Posicionadas no mesmo conjunto dos faróis;

Para – choques –  Em lâminas de aço carbono cromados;

Grade de ar do motor – Cromada com a estrela da montadora;

Retrovisores – Metálicos com ajuste manual;

Frisos – Metálico em toda a extensão do rodapé do carro;

Rodas – Tradicionais Mercedes década de 1970 com calotas;

Maçanetas – Cromadas;

Logo – “280 SL” na tampa do porta malas;

Lanterna Traseira – Tricolor com luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não – modelo conversível;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com diversos mostradores em escala circular, com molduras cromadas;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em metal e couro;

Volante – Espumado preto de três raios;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Sim;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Analógico;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em couro;

Acabamento das portas – Em couro;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Para dois passageiros nos bancos dianteiros;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Mercedes Benz 280 SL 1969

Carroceria – (W113) Pagoda Cabriolet;

Porte – Médio;

Portas – 2;

Motor –  Cód  M 130 2.8;

Cilindros – 6 em linha;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 170 cv;

Peso Torque – N/D kg/kgfm;

Cilindrada – 2778 cm³;

Torque máximo – 24 kgfm a 3600 rpm;

Potência Máxima – 5750 rpm;

Tração – Traseira (RWD);

Alimentação –  Bosch fuel injection;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Manual;

Embreagem – Conversor de torque;

Freios – Freio a disco nas 4 rodas;

Peso – 1360 kg;

Suspensão dianteira – Coil springs. Double wishbones. Anti-roll bar;

Suspensão traseira – Coil springs;

Comprimento – 4285 mm;

Distância entre-eixos – 2400 mm;

Largura – 1760 mm;

Altura – 1320 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 9 Segundos;

Velocidade máxima – 200 km/h;

Consumo: Cidade 8,5 km/l – Estrada 12.2 km/l;

Autonomia: Cidade N/D km – Estrada N/D km;

Porta malas – N/D Litros;

Carga útil – Não informado;

Tanque de combustível – 82 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 412.356,00 – Com taxa de importação inclusa;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Um comentário sobre “Mercedes Benz 280 SL 1969 chega ao final da década de 60 em grande estilo”

  1. Sobre o Mercedes 280 SL 1969. No início do texto diz que o câmbio é manual, a foto do modelo é de um carro manual, mas na ficha técnica diz câmbio automático !!!

Deixe uma resposta