Kombi cabrita 1974 a picape com carroceria de aço Karmann Ghia

Compartilhe

Sem dúvida, um dos utilitários que literalmente carregou o Brasil nas costas, o mais comercializado entre lojistas dos grandes centros, com uma ótima relação custo benefício para a época

O modelo ficou popularmente conhecido como VW Kombi cabrita, mas na prática, servia mais como uma mula para carregar peso. Era bastante comum lojas de materiais para construção, transportando sacos de cimento e areia para entregas, com a traseira praticamente arrastando no asfalto.

Oficialmente, a montadora comercializava o modelo com 970 kg de carga útil, mas na prática com 500 kg os amortecedores praticamente atingiam o ponto zero. Se você fosse um comerciante, de uma serralheria ou loja de móveis, onde se transporta volume e não massa, a Kombi cabrita era o carro ideal.

A picape saía de fábrica, sem carroceria, ficava para o proprietário a opção de escolher, baú de alumínio, ou carrocerias abertas, de aço ou madeira.

Muitas concessionárias, ofereciam o serviço de colocação da carroceria no ato da compra, em parceria com empresas como Karmann Ghia, você comprava a unidade, e o vendedor mostrava, as opções e os valores da colocação.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto, carroceria, chassi e suspensão, era eficiente para cumprir o papel de um utilitário com tecnologia para a década de 1960.

Motor –  Utilizando o motor Volkswagen 1500 de 52 cv, era confiável, porém pouco elástico, as trocas de marchas deveriam sempre serem feitas, proporcionalmente a velocidade do veículo, para evitar a diminuição do tempo de vida útil do motor.

Câmbio –  O câmbio de 4 velocidades era eficiente, mas após 12 ou 24 meses, a alavanca do câmbio apresentava folga, encaixes imprecisos ou impossíveis, era necessário manutenções preventivas, regulares.

Retomadas e ultrapassagens – Para um utilitário da década de 1970, cumpria seu papel, mas com carga máxima de 970 kg, era bom negociar bem as ultrapassagens.

Consumo –  Na teoria era a mais econômica entre as picapes médias, mas na prática a história era outro, o consumo era em média 5 km/l na cidade, conforme ficha técnica no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  Redondos de lentes boleadas, embutidos em uma moldura cromada.

Setas dianteiras – Embutidas posicionadas acima dos faróis;

Para – choques –  Em aço carbono na cor branca, estilo cabide;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – Entrada de ar forçado, pela lateral traseira;

Retrovisor Externo – Redondo com haste metálico;

Frisos – Não;

Rodas – De aço e calotas cônicas, cromadas;

Maçanetas – Cromadas;

Logo – “1500” na tampa do motor;

Lanterna Traseira – Bicolor sem luz de ré;

Bagageiro – Opção para carroceria de aço, ou de madeira;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores básicos em escala circular;

Conta – giros – Não;

Acabamento do painel – Em metal na cor da carroceria;

Volante – De plástico injetado de dois raios;

Sistema de som – Não;

Ventilador – Não;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – Não;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Não;

Acendedor de cigarros – N/D;

Cinzeiro – N/D;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em vinil;

Acabamento das portas – Em madeira curtiça;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Não;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Emborrachado;

Porta-malas – Carroceria em madeira ou aço;

Ficha Técnica – Kombi cabrita 1974

Carroceria – Picape;

Porte – Médio;

Portas – 2;

Motor – VW 1500 Boxer;

Cilindros – 4 opostos horizontalmente;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Peso Torque – 123,08 kg/kgfm;

Tração – Traseira;

Combustível – Gasolina;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 4 velocidades, alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Tambor nas quatro rodas;

Peso – 1100 kg – Sem carroceria;

Comprimento – 4300 mm;

Distância entre-eixos – 2400 mm;

Potência – 52 cv;

Cilindrada – 1493 cm³;

Torque máximo – 9,1 kgfm a 2600 rpm;

Potência Máxima – 4200 rpm;

Aceleração de 0 a 100 – 46 Segundos;

Velocidade máxima – 109 km/h;

Consumo: Cidade 5 KM/L – Estrada 6,6 km/l;

Autonomia: Cidade 215 km – Estrada 283,8 km;

Porta malas – 1974 Litros;

Carga útil – 970 kg;

Tanque de combustível – 43 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 70.322,00.

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.joi

Deixe uma resposta