Jeep Willys 1957, a geração guerra do Vietnã

Compartilhe

A unidade aqui da matéria é um Jeep Willys 1957, produzido e direcionado para o público civil, mesmo assim fez parte da geração de modelos fabricados e destinados a guerra do Vietnã, que durou 20 anos de 1955 a 1975.

Em 1945 termina a segunda guerra mundial, entre os anos de 1950 e 1953 houve a guerra da Guerra da Coreia, e em 1º de novembro de 1955 explode a guerra do Vietnã, e o Jeep Willys, esteve presente em todos os frontes.

No Brasil durante as décadas de 1960 e 1980, ainda existiam unidades utilizadas pelo exército brasileiro, e unidades importadas utilizados pelos norte-americanos. As versões direcionadas para o uso civil, inicialmente foram produzidas pela Willys Overland, já no final da década de 1960, a Ford já produzia o modelo, já com os motores Ford/Willys 2.3 de 4 cilindros e 2.6 de 6 cilindros.

No início da década de 1940, o nome técnico oficial do modelo é, Truck, 1/4 ton, 4×4, posteriormente batizado de Jeep, pelos soldados. Jeep era um personagem de histórias em quadrinhos chamado “Jeep” e se tornou era uma gíria popular militar, que se referia a tudo que fosse estranho, ou sem muito sentido.

Desempenho

Estabilidade – O conjunto carroceria, chassi e suspensão do Jeep Willys 1957, foi projetado para serviços Off-Road, sem muita intimidade no asfalto e modesto em curvas de alta.

Motor – O motor de 4 cilindros original Willys / Ford, era extremamente resistente, e exigia pouca manutenção, um veículo literalmente feito para a guerra.

Câmbio – O câmbio e os controles de tração, também foram feitos para durar, mas utilizava a famosa caixa seca, as trocas de marchas deveriam esperar o tempo do motor para os engates, ou você teria uma marcha arranhando que se ouvia de muito longe.

Retomadas e ultrapassagens – Na estrada tinha um desempenho modesto, passava muito vibração para a carroceria, devido ao atrito dos grandes pneus no asfalto, e da suspensão muito rígida, mas em época de guerra, o conforto era o que menos contava.

Consumo – Em média fazia 5 km/l na cidade, que para a década de 1950 em época de guerra era um grande feito.

Acabamento Externo

Faróis –  Redondos de lentes boleadas, embutidos com recuo;

Setas dianteiras – Posicionadas abaixo dos faróis;

Para – choques –  Em lâminas de aço carbono;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – Em aço com frisos na vertical;

Retrovisores Externos– De haste única;

Frisos – Não;

Rodas – Rodas de aço tradicionais da família Willys;

Maçanetas – N/D;

Logo – “Jeep” estampado na lateral do para-lama dianteiro;

Lanterna Traseira – Em cor única sem luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores em escala circular;

Conta – giros – Não;

Acabamento do painel – Em aço na cor da carroceria;

Volante – De três raios;

Sistema de som – Não;

Ventilador – N/D;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – N/D;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Não;

Acendedor de cigarros – Não;

Cinzeiro – Não;

Acionamento dos vidros – N/D;

Sistema de travamento das portas – N/D;

Ajuste dos retrovisores externos – N/D;

Acabamento dos bancos – Em vinil;

Acabamento das portas – N/D;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Aço;

Porta-malas – Aço;

Ficha Técnica – Jeep Willys 1957 – Na configuração original da década de 1950

Carroceria – Jipe;

Porte – Médio;

Portas – Não;

Motor –  44lor 442 Go Devil 2.2;

Cilindros – 4 em linha;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 55 cv;

Peso Torque – N/D kg/kgfm;

Cilindrada – 2199 cm³;

Torque máximo – 13 kgfm a 4000 rpm;

Potência Máxima – 4000 rpm;

Tração – AWD integral permanente;

Alimentação –  Carburador – W0-539S carb;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 4 marchas com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a tambor nas 4 rodas;

Peso – 1113 kg;

Suspensão dianteira – Semi-elliptic leaf springs. De Dion axle;

Suspensão traseira – Semi-elliptic leaf springs. De Dion axle;

Comprimento – 3333 mm;

Distância entre-eixos – 2030 mm;

Largura – 1580 mm;

Altura – 1830 mm;

Aceleração de 0 a 100 – N/D Segundos;

Velocidade máxima – 95 km/h;

Consumo: Cidade 5 km/l – Estrada 7 km/l;

Autonomia: Cidade N/D km – Estrada N/D km;

Porta malas – N/D Litros;

Carga útil – N/D kg;

Tanque de combustível – N/D Litros;

Valor atualizado Aproximado – Não informado;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Deixe um comentário