Jeep Verde, 1974 já sob a conceção da Ford, ainda era o melhor Off Road Do Brasil

Compartilhe

O Jeep Verde da nossa matéria é uma versão civil, em 1974 a guerra do Vietnã estava terminando, no dia 30 de abril de 1975 encerraria o confronto. E o Jeep Willys encerraria nos E.U.A sua saga no exército do Tio Sam, que começou no início da segunda guerra mundial.

Aqui no Brasil, ainda serviu nossos militares até o início da década de 1980. Já sob a concessão da Ford diversas unidades eram direcionadas ao público civil, praticamente com a mesma configuração militar.

Em 1974 aqui no Brasil, o modelo era direcionado para o uso na área rural, tanto em regiões mais áridas como fazendeiros do Nordeste, como em regiões mais frias ou úmidas, do Sul ou Norte do país. Um ditado que sempre existiu sobre o modelo é, “Jeep sobe até em parede”.

No início da década de 1940, o nome técnico oficial do modelo era, Truck, 1/4 ton, 4×4, posteriormente batizado de Jeep, pelos soldados. Jeep era um personagem de histórias em quadrinhos chamado “Jeep” e se tornou era uma gíria popular militar, que se referia a tudo que fosse estranho, ou sem muito sentido.

A unidade da nossa matéria é um Jeep Verde, do ano de 1974, equipado com o motor de 6 cilindros BF 161, 4X4, de 90 cv de força, torque máximo de 18,7 kgfm a 2000 rpm, com velocidade final real de 118 km/h e aceleração de 0 a 100 em 26,8 segundos. Quanto ao consumo, na cidade fazia 4 km/l e na estrada 6 km/l.

Acabamento Externo

Faróis –  Redondos de lentes boleadas;

Setas dianteiras – Posicionadas abaixo dos faróis;

Para – choques –  Em lâminas de aço carbono;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – Em aço com frisos na vertical;

Retrovisores Externos– De haste única;

Frisos – Não;

Rodas – Rodas de aço tradicionais da família Ford/Willys;

Maçanetas – ;

Logo – “Jeep” estampado na lateral do para-lama dianteiro;

Lanterna Traseira – Em cor única sem luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostrador em escala circular;

Conta – giros – Não;

Acabamento do painel – Em aço na cor da carroceria;

Volante – De dois raios;

Sistema de som – Não;

Ventilador – N/D;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – N/D;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Não;

Acendedor de cigarros – Não;

Cinzeiro – Não;

Acionamento dos vidros – N/D;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em courvin;

Acabamento das portas – Em courvin;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Emborrachado;

Porta-malas – Emborrachado;

Ficha Técnica – Jeep Verde – Do ano de 1974

Carroceria – Ford Jipe;

Porte – Médio;

Portas – 2;

Motor –  BF161;

Cilindros – 6 em linha;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 90 cv;

Peso Torque – 58,6 kg/kgfm;

Cilindrada – 2638 cm³;

Torque máximo – 18,7 kgfm a 2000 rpm;

Potência Máxima – 4400 rpm;

Tração – Sistema com roda livre manual AVM;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Instalado kit de freio da Jipebras (freio a disco, hidrovácuo e pedais suspensos;

Peso – 1096 kg;

Suspensão dianteira – Eixo rígido – Feixe de molas semielípticas;

Suspensão traseira – Eixo rígido – Feixe de molas semielípticas;

Comprimento – 3444 mm;

Distância entre-eixos – 2057 mm;

Largura – 1699 mm;

Altura – 1733 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 26,8 Segundos;

Velocidade máxima – 118 km/h;

Consumo: Cidade 4 km/l – Estrada 6 km/l;

Autonomia: Cidade 120 km – Estrada 180 km;

Porta malas – 100 Litros;

Carga útil – 605 kg;

Tanque de combustível – 30 Litros;

Valor atualizado Aproximado – Não informado;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos.

Deixe um comentário