Jeep Jeg, conheça o fora de série Off-Road concorrente direto do Gurgel X-12

Compartilhe

O Jeep Jeg, nasceu em 1976 já como modelo 1977, foi apresentado no salão do carro e logo ganhou a capa da Revista Quatro Rodas da época, o concorrente direto do Gurgel X-12, vinha com carroceria em aço, e era produzido pela fora de série, Dacunha Veículos e Mecânica S/A na cidade de São Bernardo do Campo SP e vendido nas concessionárias VW.

O Diferente dos modelos Gurgel, que utilizavam carrocerias de fibra de vidro, o Jeg era comercializado com carroceria de aço. Utilizava a plataforma do VW kombi, motor 1600, e chassi encurtado em 400 mm. Para poder ser posicionado como um Off-Road, a montadora utilizou um sistema de freios seletivo desenvolvido pela Gurgel, o Selectration, que funciona bloqueando as rodas traseiras de forma independente, facilitando a saída de atoleiros.

O modelo ainda oferecia, para-brisa basculante, protetor de faróis e uma galão devidamente adaptado na parte traseira de 20 litros, que era utilizado como reservatório adicional de gasolina.

O número de unidades emplacadas, foram bastante modestos, cerca de 500 unidades. Mas hoje se tornou um colecionável muito valorizado, e bastante procurado, para se ter uma ideia, as buscas mensais nos buscadores Google pelo modelo chegam a 1000 pessoas por mês, se somar as buscas em redes sociais mais Bing/Yahoo, existem no Brasil uma média de 5.000 pessoa todos os meses em busca de uma unidade colecionável.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto, carroceria, chassi e suspensão, dava ao carro a estabilidade sugerida para um utilitário da década de 1970, por ter o chassi encurtado, levava vantagem em curvas de alta, em relação aos VW refrigerados a ar.

Motor –  Utilizando o motor VW Boxer 1600, era de desempenho modesto, mas muito eficiente para regiões com variações extremas de temperatura e atoleiros. Ao menos essa era a ideia de Ferdinand Porsche e sua equipe no projeto piloto de década de 1930,

Câmbio –  O câmbio manual de 4 velocidades, era de engates precisos e macios, mas exigia as manutenções preventivas em dia ou os problemas de engates começariam a aparecer em menos de dois anos.

Retomadas e ultrapassagens – Para quem viveu as décadas de 1970 e 1980, sabe que nunca foi o ponto forte de todos as gerações com motores refrigerados a ar, mesmo sendo 1600.

Consumo –  Fazer 6 km/l na cidade estava dentro do esperado para um utilitário, mais detalhes na ficha técnica no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  Faróis redondos de lentes boleadas, protegidos por uma grade de aço;

Para – choques – Em aço carbono com reboque;

Grade de ar do motor – Entrada de ar forçado na lateral dos para-lamas traseiros;

Retrovisores – De plástico com haste;

Frisos – Não possui;

Rodas – Rodas de aço de 5 furos;

Maçanetas – ;

Logo – “Jag” na parte frontal do veículo;

Lanterna Traseira – Bicolor;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores básicos em escala circular;

Acabamento do painel – Em aço na cor da carroceria;

Volante – Volante de três raios;

Sistema de som – Não;

Ventilador – Não;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – Não;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Não;

Acendedor de cigarros – Não;

Cinzeiro – Não;

Acionamento dos vidros – N/D;

Sistema de travamento das portas – N/D;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em courvin;

Acabamento das portas – Em vinil;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Emborrachado;

Porta-malas – Em aço;

Ficha Técnica – Jeep Jeg

Carroceria – Jeep;

Porte – Compacto;

Portas – 2;

Motor –  Boxer 1600;

Cilindros – 4 opostos horizontalmente;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 58 cv;

Peso Torque – 100 kg/kgfm;

Cilindrada – 1584 cm³;

Torque máximo – 13 kgfm a 2600 rpm;

Potência Máxima – 4400 rpm;

Tração – Traseira;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 4 velocidades com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a tambor nas 4 rodas;

Peso – 1100 kg;

Suspensão dianteira – Independente, braço arrastado – Barra de torção;

Suspensão traseira – Independente, braço semi-arrastado – Barra de torção;

Comprimento – 3997 mm;

Distância entre-eixos – 2000 mm;

Largura – N/D mm;

Altura – 1912 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 25 Segundos;

Velocidade máxima – 117 km/h;

Consumo: Cidade 6 km/l – Estrada 7,5 km/l;

Autonomia: Cidade 262 km – Estrada 327 km;

Porta malas – N/D Litros;

Carga útil – N/D kg;

Tanque de combustível – 43 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 85.158,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Deixe um comentário