Gurgel BR 800 mais uma tentativa de criar uma montadora 100 % brasileira

Ele nasceu em 1988, em meio aos potentes e ágeis compactos, Uno, Gol e Chevette, mas não se intimidou, com seu motor 0.8 de 2 cilindros e teve pouco mais de 7.000 unidades emplacadas

No final da década de 1980, o público estava acostumado com os compactos e médios, com motores 1.6, 1.8 e 2.0, era o auge da guerra entre Monza e Santana, a linha BX Volkswagen dominava o mercado dos compactos com os novos modelos com para – choques envolventes e painel alemão, o Gurgel BR 800 não causou um grande frisson em seu lançamento, de linhas modestas e um desempenho bastante popular, o subcompacto 100% nacional ainda era uma promessa.

Aos moldes da IBAP, Industria Brasileira de Automóveis Presidente na década de 1960, que também tentou criar uma montadora nacional, com o mesmo princípio, o capital da empresa era fatiado entre investidores, funcionários e acionistas indiretos.

Na década de 1990, houve no Brasil, uma grande tendência de Bingos em estádio de Futebol, patrocinados por Clubes e as chamadas empresas de eventos, que ofereciam carros como prêmio, o Gurgel BR 800 estava presente em praticamente todos os eventos.

Houve até alguns protótipos de uma versão furgão, encomendadas pelos correios.

A ideia era que na segunda metade da década de 1990, seriam lançados as versões compactas, hatch e sedã, o modelo inicial BR 800, era na prática um teste para voos maiores da montadora.

Em 1991 o sonho acabou, sem incentivos reais do governo federa, e a pressão das montadoras estrangeiras para também obterem o pouco de isenções que o BR 800, selaram o fim do projeto.

Desempenho

Na cidade era o tradicional popular de desempenho modesto, na estrada alcançava velocidade final real de 112 KM/h, era o único carro no Brasil que mostrava a velocidade real no velocímetro de fábrica.

O conjunto carroceria, chassi e suspensão, fazia a obrigação dentro do esperado, relativamente bom de curvas, e em retas acima de 90 KM/h tinha lá seus balanços mas nada que oferecesse risco.

Também existiam alguns problemas estruturais, natural de um modelo recém projetado, que na prática ainda era um protótipo.

Acabamento Externo

Frente com faróis quadrados de lentes planas, embutidos com recuo.

Grade de ar do motor com frisos na horizontal na cor do carro, com o logo “Gurgel” fixado.

Setas dianteiras localizadas abaixo dos faróis.

Para – choques envolventes na cor cinza, ou na cor da carroceria.

Retrovisores satélites, semelhantes ao da família Uno, com ajuste manual.

Adesivo preto na lateral, com o logo “BR 800 SL”.

Entrada de ar no teto.

Break Light na parte superior da tampa do porta – malas.

Rodas de aço exclusivas do modelo.

Lanternas traseiras tricolor, com luz de ré.

Acabamento Interno

Painel em vinil, com mostradores básicos + relógio analógico.

Volante espumado de dois raios.

Acabamento das portas em vinil.

Acabamento dos bancos em tecido plástico.

Assoalho acarpetado.

Ficha Técnica – Gurgel BR 800

Carroceria Hatch;

Porte Subcompacto;

Duas portas;

Motor Gurgel 0.8;

Cilindros 2 opostos;

Cilindradas 792 cm³;

Longitudinal;

Tração traseira;

Combustível Gasolina;

Carburador;

Direção simples;

Câmbio manual de 4 marchas;

Freios discos sólidos nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso 650 KG;

Potência 33 CV;

6,2 Kgfm a 2500 rpm

De 0 a 100 – 34,4 Segundos;

Velocidade máxima 112 KM/h;

Consumo Cidade 12 KM/L Estrada 14,1 KM/L;

Autonomia – Cidade 480 KM – Estrada 564 KM.

Porta malas 122 Litros;

Carga útil 350;

Tanque de combustível 40 Litros;

Preço atualizado aproximado R$ 25.132,00.

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

Gurgel BR 800

Deixe uma resposta