Gol 1000 96 o ultimo gol quadrado

Após 16 anos o Gol Quadrados se despede do mercado, do pacato motor 1300 refrigerado a ar, ao potente GTi 2.0 uma ideia que definitivamente deu certo

Nascido como o tradicional Volkswagen pé de boi, sem instrumentos de luxo, um visual discreto e um motor apático, o 1300 refrigerado a ar, que conseguia ser mais deficiente com dois carburadores e combustível a álcool, mesmo em meio a tropeços em seu lançamento, ele deu a volta por cima e se tornou o hatch compacto mais eficiente do Brasil, durante as décadas de 1980 e 1990, finalizando sua saga como Gol 1000 96.

Em 1980 nasceu tropeçando na ultrapassada tecnologia Volkswagen de motores refrigerados a ar, mesmo assim com um público ainda fiel aos motores VW 1600, o Gol Quadrado atingiu picos de vendas entre 1981 e 1982 utilizando o motor a gasolina 1600 o mesmo dos modelos Brasília e Variant.

Em 1983 com a chegada do Fiat Uno, e com o novo visual e upgrade nos motores do Chevette Hatch, a filial no Brasil solicitou a matriz na Alemanha, o lançamento da versão esportiva o Gol GT 1.8, que logo de cara foi negada, com o fracasso dos esportivos SP2, TL Esport e Karmann Ghia, a montadora torceu o nariz, mas entre mortos e feridos o Gol GT 1.8 saiu do forno em 1984, e foi sucesso absoluto, do apático Gol 1300 ao poderoso GT 1.8, nasce uma verdadeira lenda.

1980 a 1983 – Motores 1300 e 1600 refrigerados a ar.

1984 Motor MD 270 1.8 com câmbio 4 marchas para a versão esportiva GT.

1985 o Gol GT 1.8 ganha a primeira versão nacional do Motor AP 1.8.

1985 as versões intermediárias S e LS, passam a ser equipadas com motor MD – 270 1.6 refrigerados a ar, com câmbio 4 marchas e opcional para 5 marchas.

1986 as versões intermediárias S e LS ganham os famosos motores AP 1.6, e também é o último ano de produção do Gol BX com motor 1600 refrigerado a ar.

Entre os anos de 1987 e 1994 a versão carburada esportiva o Gol GTS 1.8S, marcou história com um visual esportivo e um excelente desempenho.

Em 1989 chega ao mercado o primeiro carro nacional com injeção multiponto o Gol GTi 2.0.

O Gol ainda chegou a ser equipado com motores Ford CHT 1.6 e 1.0, durante a parceria FordWagen entre 1989 e 1996.

Na história da industria automobilística nacional, nenhum modelo conseguiu ter um conjunto carroceria e chassi, que abrigasse durante tantos anos, uma diversidades de motores e versões, do pacato 1300 a álcool ao nervoso e equilibrado Gol GTi 2.0 e finalizando sua jornada com o motor Ford CHT 1.0.

Desempenho – Gol 1000 96

Motor 1.0 CHT rebatizado de AE, cumpria seu papel como um modelo popular 1.0 carburado, de desempenho bastante modesto, entregava simpáticos 50 CV de força, ia de 0 a 100 em 20 segundos e velocidade final de 137 KM/h.

O câmbio 5 marchas, era macio e de engates precisos, o problema era que mesmo com a quinta marcha engatada, o carro a 100 KM/h pedia alguns cavalinhos a mais.

O conjunto, carroceria, chassi e suspensão, ainda eram considerados atualizado para a época, muito eficiente em curvas de alta e em retas, se mantinha bastante estável.

Acabamento Externo

Frene de lentes retangulares, mudança realizada em 1991, para atender legislações de outros países no setor de exportação do Gol;

Grade de ar de plástico com frisos na horizontal;

Para – choques envolventes de plástico na cor grafite;

Rodas de aço 145/80 R13, família BX;

Retrovisores panorâmicos, com ajuste manual;

Maçanetas na cor preto;

Lanternas traseiras tricolor, bonitas e muito eficientes;

Limpador de vidro traseiro;

Logo “Gol 1000” na tampa do porta malas.

Acabamento Interno

Painel satélite, com mostradores básicos;

Volante espumado de dois raios;

Ventilador de três velocidades;

Ar-quente;

Acendedor de cigarros;

Cinzeiro;

Acionamento dos manual basculante;

Acabamento de bancos e portas em tecido plástico;

Encosto de cabeça com regulagem, apenas nos bancos dianteiros;

Desembaçador elétrico dos vidros traseiros – Opcional;

Ficha Técnica – Gol 1000 96

Carroceria hatch;

Compacto;

Duas portas;

Motor CHT / AE 1.0;

Cilindros 4 em linha;

Tuchos mecânicos;

Tração dianteira;

Combustível Gasolina;

Carburador;

Direção Simples;

Câmbio manual de 5 marchas;

Freios a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso 890 KG;

Potência 50 CV;

7,3 kgfm a 3500 rpm

De 0 a 100 – oficialmente 20 Segundos;

Velocidade máxima 137 KM/h;

Consumo Cidade 10,9 KM/L Estrada 14 KM/L;

Autonomia: Cidade 512,3 KM – Estrada 658 KM;

Porta malas 146 Litros;

Carga útil 410 KG;

Tanque de combustível 47 Litros.

Motor Tudo – Gol 1000 96

Carros Clássicos Brasil – Gol Quadrado

Um comentário sobre “Gol 1000 96 o ultimo gol quadrado”

  1. Vi algum tempo atras( cerca do ano 2015) um gol 1000 ano 96 bem conservado quecera usado pra uso diário. Muito bom

Deixe uma resposta