Fusca 1959, passa a ser oficialmente produzido em solo brasileiro

Compartilhe

O besouro da montadora alemã, era importado para o Brasil desde setembro de 1950, mas o Fusca 1959, foi a primeira geração a ser produzida em solo brasileiro, ainda com o nome oficial de Volkswagen sedã. Outro de talhe importa era que, 54% de suas peças também passaram a ser produzidas por aqui.

O modelo inicia sua produção em terra brasilis, ganhando um significativo pacote de upgrades; volante cálice; maçanetas botão de acionamento, para-sol emborrachado, dínamo de 160watts. Novo acabamento interno branco-cinza gelo, e ganha opcional para outros conjuntos de cores, monocromáticas: azul pastel, azul turquesa, verde berilo e bege havana. A janela traseira aumentou de tamanho e passa a ser retangular.

No final da década de 1950, o número de veículos em placados no Brasil, ainda era bastante modesto, não existe um número exato de unidades comercializadas, mas aproximadamente 25.000 exemplares do Fusca 1959 foram vendidos, um número bastante significativo para um país de terceiro mundo que ainda tinha um perfil rural.

O primeiro projeto do VW sedã a ser produzido por aqui, se manteve sem alteração até 1961, quando ganhou um upgrade mais significativo, novo câmbio e nova relação do diferencial. A unidade aqui da matéria é um VW sedã 1959, com motor 1200, a carroceria ainda mantem sua originalidade de fábrica.

Desempenho

Estabilidade – O conjunto carroceria, chassi e suspensão, era relativamente eficiente, considerando a tecnologia da época. Em curvas de alta com o piso molhado, era sempre bom o motorista ficar atendo, a saídas de pista, em retas se mantinha estável em velocidades até de 70 km/h.

Motor – O motor Volkswagen Boxer 1200, era de manutenção descomplicada e de baixo custo, mas em meses mais quentes, era necessário estar em dia com as manutenções de platinado e bobina.

Câmbio – Em 1959 o câmbio foi mantido na mesma configuração dos modelos importados.

Retomadas e ultrapassagens – Atendia as expectativas para um compacto da década de 1950, mas era sempre bom o motorista negociar bem as ultrapassagens.

Consumo – A versão 1200, era o que chamamos hoje de consumo de carro popular, com ótimos 9 km/l na cidade, conforme ficha técnica no final da matéria.

Imagens thegarage.com.br

Acabamento Externo

Faróis –  Redondos, de lentes boleadas, embutidos em uma moldura cromada.

Setas dianteiras – N/D;

Para – choques –  Cromados, estilo cabide;

Grade de ar do motor – Frisada abaixo do vidro traseiro;

Retrovisores – Cromado com haste;

Frisos – Cromados em toda a extensão do carro;

Rodas – Rodas de aço tradicionais da família VW, com lindas calotas cônicas cromadas;

Maçanetas – Cromadas;

Logo – “Brasão” no capô dianteiro;

Lanterna Traseira – Bananinha;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores básicos em escala circular, embutidos em uma moldura cromada;

Acabamento do painel – Em metal nas cores da carroceria;

Volante – De dois raios;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – N/D;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – N/D;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Não;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em Courvin;

Acabamento das portas – Em Courvin;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Emborrachado;

Porta-malas – Emborrachado;

Ficha Técnica – Fusca 1959

Carroceria – Sedã;

Porte – Compacto;

Portas – 2;

Motor – VW Boxer 1200;

Cilindros – 4 Opostos horizontalmente;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Tuchos – Mecânicos;

Tração – Traseira;

Combustível – Gasolina;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 4 velocidades, alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a tambor nas quatro rodas;

Peso – 780 kg;

Comprimento – 4070 mm;

Distância entre-eixos – 2400 mm;

Potência – 36 cv;

Cilindrada – 1192 cm³;

Torque máximo – 8,7 kgfm a 2800 rpm;

Potência Máxima – 4600 rpm;

Aceleração de 0 a 100 – 49 Segundos;

Velocidade máxima – 103 km/h;

Consumo: Cidade 9 km/l – Estrada 13 km/l;

Autonomia: Cidade 293 km – Estrada 490 km;

Porta malas – 141 Litros;

Carga útil – 380 kg;

Tanque de combustível – 41 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 81.990,00.

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Deixe um comentário