Fiat city a picape compacta que foi uma joga de gênio

Ela sobreviveu entre os anos de 1978 e 1988, foi a primeira picape compacta em série do Brasil

Em 1978 nasceu com o nome Fiat picape 147, em 1980 recebeu seu verdadeiro nome Fiat City, e terminou sua história como Fiat Fiorino, a picape compacta da Fiat foi uma jogada inserta, mas muito bem sucedida no mercado das picapes compactas no final da década de 1970.

A ideia da Fiat foi a seguinte, os grandes centros, como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, entre outros, tinha milhões de micro empresários que precisavam de um veículo, pequeno, econômico, muito barato e que aguentasse o dia a dia no asfalto e no trânsito, em 1978 o Fiat 147 já havia mostrado sua força, mesmo ainda com algumas limitações no câmbio.

Em 1978 chega ao mercado a primeira e muito bem sucedida picape compacta produzida em série, o Fiat City, que ainda se chamava Fiat picape 147.

O número de unidades emplacadas entre 1978 e 1980 surpreendeu até mesmo o mais otimista entre os fãs da montadora, e levou as montadoras nacionais a inciar a batalha das picapes compactas, Volkswagen Saveiro chegou em 1982 com o motor 1.6 refrigerado a ar, o Ford Pampa também em 1982 utilizando o motor CHT e feixe de molas, a Chevy 500 chegou em 1983, com tração traseiro e o bom motor Chevrolet.

Desempenho

Um das curiosidades que mercaram a vida do Fiat 147 foi sua mecânica que passou de pouco eficiente e problemática, no final dos anos 1970, para eficiente e muito confiável na década de 1980, mais ágil elástico e econômico que o fusca.

O câmbio que era um grande problema na década de 1970, no início da década de 1980 já era considerado como, eficiente de engates precisos e relativamente macio.

Pesando apenas 811 KG, era muito ágil na área urbana, seguro e eficiente em ultrapassagens e retomadas.

Na estrada atingia ótimos 140 KM/h de velocidade real, mas após 110 Km/h o motor passava vibração para a carroceria, com peso, 500 KG, que era sua carga máxima, pedia em desempenho.

O equilíbrio também era um ponto forte do carro, com dimensões curtas, que no visual mais parecia um subcompacto, um peso muito bem distribuído e uma estrutura ainda moderna para a época, ele surpreendia mesmo com pneus finos 145.

Acabamento Externo

Frente com faróis embutidos junto com a seta e luz de sinalização.

Para-choque em aço carbono na cor grafite.

Friso lateral emborrachado com o logo 1/2 Ton.

Rodas de aço 145/80 R13.

Retrovisor de plástico com controle manual externo.

Lanternas traseiras tricolor co luz de ré.

Acabamento Interno

Painel com mostradores básicos de fácil visualização.

Acabamento de portas e bancos em vinil simples.

Volante de plástico injetado dois raios.

Acendedor de cigarros.

Cinzeiro.

Bancos sem encosto de cabeça.

Acionamento dos vidros manual basculante.

Assoalho emborrachado.

Ventilador de duas velocidades.

Ficha Técnica – Fiat City 1300

Carroceria Picape;

Porte Compacto;

2 portas;

Motor Fiasa 1.3;

Cilindros 4 em linha;

Posição Transversal;

Tuchos mecânicos;

Tração Dianteira;

Combustível Gasolina;

Carburador;

Direção Simples;

Câmbio manual de 4 marchas;

Embreagem monodisco a seco;

Freios a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas  traseiras;

Peso 950 KG;

Potência 60 CV;

Torque máximo 10 kgfm a 2600 rpm;

Potência Máxima 5200 RPM;

De 0 a 100 – 11,2 Segundos;

Velocidade máxima 135 KM/h;

Consumo na Cidade 9 KM/L – Estrada 12 KM/L;

Autonomia: Cidade 342 KM – Estrada 456 KM;

Porta malas 850 Litros;

Carga útil 500 KG;

Tanque de combustível 38 Litros;

Preço atualizado R$ 49.832,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

Fiat City – Picapes

Deixe uma resposta