Del Rey 1984 Série Prata o último ano da frente quadrada

Em 1984 com a chegada do VW Santana, e as crescentes vendas do Chevrolet Monza, a Ford resolveu rejuvenescer seu modelo, para continuar a briga no prospero mercado dos médios

Em 1981 quando chegou ao mercado nacional, gerou um verdadeiro frisson entre os fãs de carros no Brasil, bonito elegante, e com um acabamento interno inovador, mas entre os anos de 1983 e 1984, com a chegada do Chevrolet Monza e VW Santana, as vendas simplesmente despencaram, a versão Del Rey 1984 Série Prata, fechou o ciclo de sucesso do médio da Ford

A Ford colocou no mercado um modelo com um acabamento externo e interno simplesmente impecável, o bom gosto do projeto conquistou até mesmo os mais críticos, mas o Ford Del Rey já nasceu com um sério problema estrutural, o carro utilizava a mesma plataforma do Corcel 2, que na verdade ainda era a plataforma do Corcel 1, com mínimas mudanças.

O novo modelo na verdade era um Corcel Sedã três volumes, com uma suspensão mais moderna, e o mesmo motor e câmbio da família Corcel 2, entregando modestos 69 CV de força, indo de 0 a 100 em 21,6 segundos, então não precisamos ser nenhum perito para entender que a chegada de seus dois principais concorrentes, o transformaram do dia para noite, de celebridade a modelo ultrapassado.

Desempenho

A Ford ainda utilizava o motor Renault Cleon Fonte 1.6, rebatizado de CHT, na posição longitudinal, mas com atualizações significativas, como ignição eletrônica, alternador de alta capacidade, que deixava o motor um pouco mais elástico, mais confiável, e com um torque mais suave;

Mesmo com novas tecnologias, o motor entregava modestos 69 CV de força, com velocidade final de 139 KM/h, um desempenho bastante distante do visual e do requinte que o Del Rey oferecia;

A agilidade na cidade ganhou nota 6, das revistas automotivas da época, e na estrada nota 5,5, pois em altas rotações o motor CHT passava vibração para a carroceria, além da falta de fôlego com o carro pesado em ultrapassagens;

O novo sistema de suspensão, mantinha o Del Rey com a mesma macies que a do Corcel, porém com um pouco mais de eficiência em curvas de alta, e em altas velocidades na estrada, mesmo assim ainda sofria com a estabilidade.

Acabamento Externo

Frente com faróis quadrados de lentes planas, embutidos em um mesmo conjunto com a seta;

Grade de ar do motor com frisos metálicos na horizontal;

Logo “Ford” embutido na grade de ar;

Para – Choques em lâminas de aço carbono, cromados, com friso emborrachado na frente;

Cantoneiras de plástico na cor grafite, estendidas nas pontas dos para – choques;

Friso lateral emborrachado, com detalhe metálico em toda a extensão lateral do carro, com o logo “Álcool”;

Rodas de aço tradicionais da família Del Rey, modelo de entrada;

Retrovisor satélite com controle mecânico interno;

Lanternas traseiras tricolor.

Acabamento Interno

Painel em vinil, moderno, de fácil visualização, com mostradores muito bem desenhados, um passo a frente de seu tempo;

Botões e alavancas de acionamento de funções no painel, bem posicionados e muito eficientes;

Volante anatômico de dois raios;

Rádio AM/FM Ford Philco;

Lindo relógio digital no teto com números azuis;

Ventilador;

Ar – quente;

Acionamento dos vidros, manual basculante;

Acendedor de cigarros;

Cinzeiro;

Bancos anatômicos, em fino tecido aveludado, com encosto de cabeça com regulagem de altura nos bancos dianteiros;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro;

Assoalho e porta – malas acarpetados.

Ficha Técnica – Del Rey 1984 Série Prata

Carroceria sedã;

Porte Médio;

2 portas;

Motor Cléon Fonte / CHT 1.6;

Cilindros 4 em linha;

longitudinal;

Tuchos mecânicos;

Tração Dianteira;

Combustível álcool;

Carburador;

Direção Simples;

Câmbio manual de 5 marchas;

Embreagem monodisco a seco;

Freios a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso 1054 KG;

Potência 69 CV;

12,4 kgfm a 2800 rpm;

Potência Máxima 4800 RPM;

De 0 a 100 – 21,9 Segundos;

Velocidade máxima 139 KM/h;

Consumo Consumo na Cidade 6 KM/L – Estrada 10 KM/L;

Autonomia: Cidade 370,05 – Estrada 570 KM;

Porta malas 328 Litros;

Carga útil Não informado;

Tanque de combustível 57 Litros;

Motor Tudo – Del Rey 1984 Série Prata

Carros Clássicos Brasil – Ford Del Rey

Deixe uma resposta