Dakota V8 5.2, e a volta da fábrica Dodge Chrysler ao Brasil

Compartilhe

A Dakota V8 5.2, na versão R/T com cabine simples e dupla, eram as versões top de linha da picape de Elite da Dodge no Brasil. Em 1994 a montadora retorna ao país após 13 anos, inicialmente importando modelos como Neon e PT Cruiser. Logo começaria a produção em solo brasileiro.

E em 1998 na fábrica montada no Paraná, a Dodge/Chrysler volta a produzir em solo brasileiro. E a picape Dakota é um de seus primeiros produtos a sair da linha de montagem. Logo virou sinônimo de bom gosto e qualidade, um modelo de elite ao alcance de poucos. As versão disponíveis eram, Sport 3.9 V6 CE, Sport 3.9 V6 CS e a versão de entrada 2.5 CS, todos com motor a gasolina.

Em 1999/2000, são lançadas as novas versões top de linha e Diesel. Dakota V8 5.2, nas configurações R/T AT CE e CS, com motores a gasolina. Já as versões Sport 2.5 CE e Sport 2.5 CS, eram equipadas com motores Turbo Diesel de 115 cv. O número de unidades emplacadas surpreendeu a montadora, era um utilitário muito desejado para o dai a dia, mas as unidades zero km tinham seu calcanhar de Aquiles.

Um modelo de custo tão elevado, e com as manutenções preventivas e corretivas tão alta, que acabou sendo comercializada em massa para pessoa física. As vendas em grande lotes, para cnpj e serviço públicos não deslancharam. O motivo eram as picapes japonesas como a primeira e segunda geração Toyota Hilux, que além de ter um preço muito inferior, tinham as manutenções bem mais em conta, talvez não fossem ainda veículos ideias para desfilar no dia a dia, mas era um utilitário ideal para empresas e zona rural.

Além da nacionais, S-10 e Ranger, que ofereciam, um custo mais alto que o modelo japonês, porém em suas versões a Diesel eram eficientes, e mais em conta que o Dodge Dakota. Sendo assim o mercado do utilitário de Elite da Chrysler, ficou bastante limitado.

O modelo até hoje faz parte no rentável nicho de mercado de seminovos e usados de elite. Ainda é um veículo de alto custo. Mesmo na configuração como usado, as manutenções preventivas e corretivas, são bem elevadas. Mas para o segmento dos colecionáveis, se torna uma ótima opção. O preço do exemplar que roda no dia a dia custa em média R$ 45.000,00. Mas uma unidade ainda em estado de zero km, principalmente se fez parte da primeira fornada de 1998, pode passar fácil dos R$ 150.000,00.

O exemplar da nossa matéria, a picape Dakota V8 5.2, é do ano 2000, cabine simples. Equipada com o motor Magnum a gasolina de 226 cv, torque máximo de 40 kgfm a 3200 rpm, câmbio automático de 4 marchas, velocidade final real de 180 km/h e aceleração de 0 a 100 em 9,8 segundos. Quanto ao consumo 6,1 km/l na cidade e na estrada, 8,4 km/l.

Acabamento Externo

Faróis – De lentes planas retangular.

Setas dianteiras – Embutidas no mesmo conjunto dos faróis;

Para – choques –  Envolventes, na cor grafite;

Faróis de neblina – Sim;

Grade de ar do motor – Com moldura na cor da carroceria;

Retrovisor Externo – Panorâmico com ajuste elétrico interno;

Frisos – Não;

Rodas – De liga leve, tradicionais família Dodge;

Maçanetas – Embutidas na porta, na cor da carroceria;

Logo – “Dakota 5.2 R/T” nas portas;

Lanterna Traseira – Tricolor fumê com luz de ré;

Bagageiro – Carroceria de aço;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com diversos mostradores, velocímetro em mph e km/h;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em vinil nas cores cinza e grafite;

Volante – Espumado de 4 raios;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Sim;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Sim;

Relógio – Digital no teto;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Elétrico;

Sistema de travamento das portas – Elétrico;

Ajuste dos retrovisores externos – Elétrico;

Acabamento dos bancos – Em couro estilo poltrona;

Acabamento das portas – Em vinil e couro;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sema acessórios;

Encosto de cabeça – Sim;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Acarpetado;

Carroceria – Aço;

Ficha Técnica – Dakota V8 5.2 – Ano 2000 – Versão R/T CS

Carroceria – Dodge Picape;

Porte – Mérdio;

Portas – 2;

Motor – 5.2;

Cilindros – 8 em V

Posição – Longitudinal;

Peso Torque – 46,3 kg/kgfm;

Tração – Traseira;

Combustível – Gasolina;

Alimentação –  Injeção Multiponto;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Automático de 4 marchas, com alavanca na coluna de direção;

Embreagem – Conversor de torque;

Freios – Freio ABS a disco ventilado nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 1850 kg;

Comprimento – 4980 mm;

Distância entre-eixos – 2844 mm;

Largura – 1816 mm;

Altura – 1741 mm;

Potência – 226 cv;

Cilindrada – 5218 cm³;

Torque máximo – 40 kgfm a 3200 rpm;

Potência Máxima – 4400 rpm;

Aceleração de 0 a 100 – 9,8 Segundos;

Velocidade máxima – 180 km/h;

Consumo: Cidade 6,1 km/l – Estrada 8,4 km/l;

Autonomia: Cidade 506 km – Estrada 697 km;

Caçamba – 1327 Litros;

Carga útil – 750 kg;

Tanque de combustível – 83 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 387.989,00.

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos.

Deixe um comentário