Corcel Azul, na versão GT de 1975, com chassi 4E de plaqueta

Compartilhe

O Corcel Azul da nossa matéria, na versão GT de 1975, estava em seu último ano de reinado no segmento dos esportivos médios, no ano seguinte receberia a companhia do Passat TS, mesmo assim o modelo da Ford ainda se manteve na liderança entre os esportivos mais emplacados.

O Corcel GT em 1975, já tinha um público fiel, e ainda entregava um preço da unidade zero km, e das manutenções preventivas e corretivas mais baixo que as versões LS e LM do VW Passat, mesmo no ano seguinte com o lançamento do esportivo da montadora alemã, o esportivo médio da Ford ainda liderou o segmento.

A unidade aqui da nossa matéria, é um Corcel Azul Portela, do ano de 1975 original de Chassis (4E), que significa o código/numeração original de fábrica, confirmando que é um GT de berço. Com rádio Philco Ford e alto falante no local original, um modelo destinado a colecionadores.

Com a crise do petróleo se agravando cada vez mais, e as montadoras de olho na modernização de seus produtos, o mercado dos médios se tronou muito atraente para os consumidores, modelos que ofereciam um algo a mais que os compactos, com um preço e consumo de combustível muito menor que os Muscle Cars.

Desempenho

Estabilidade – O conjunto do projeto, era bastante equilibrado, oferecendo segurança e eficiência em curvas de alta, e em altas velocidades em retas. Mas a nova geração Corcel 2, perdeu com a nova suspensão muito macia.

Motor – O baixo consumo de combustível, e o tempo de vida útil, que o motor conseguia entregar, além da manutenção descomplicada, eram os pontos fortes do carro.

Câmbio – Era macio e eficiente, mas o engate da ré fazia muito barulho, nada muito normal para um modelo médio.

Retomadas e ultrapassagens –  Seguro e muito eficiente, ficava entre os melhores do mercado, no segmento dos médios e compactos, na década de 1970.

Consumo – Mesmo com o motor 1.4 de 85 cv bruto ou aproximadamente 72 cv líquido, ainda entregava um bom desempenho com economia, fazendo 9,8 km/l na cidade, conforme ficha técnica no final da matéria.

Acabamento Externo

Faróis – Redondos de lentes boleadas, embutidos com recuo, em uma moldura na cor preta;

Setas dianteiras – Embutida abaixo do para – choque;

Para – choques – Em aço carbono, cromados;

Faróis de neblina – Não – Utiliza luzes de longo alcance, embutidas na grade de ar do motor:

Grade de ar do motor – Estilo colmeia;

Retrovisores – Cromado;

Frisos – Faixas pretas em toda a extensão lateral do carro;

Rodas – De aço, tradicionais família Corcel GT, com um estilo mais esportivo;

Maçanetas – Cromadas;

Logo – “GT”, na coluna traseira;

Lanterna Traseira – Bicolor com luz de ré;

Teto Solar – Não;

Bagageiro – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores em escala circular, posicionados também no console da alavanca do câmbio;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em vinil e aço preto;

Volante – Esportivo de três raios;

Sistema de som – Rádio Philco Ford;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Não;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em courvin;

Acabamento das portas – Em courvin, com detalhes cromados;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Sim;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Corcel Azul – Na versão GT do ano de 1975

Carroceria – Ford Cupê;

Porte – Médio;

Portas – 2;

Motor – Cléon Fonte 1.4;

Cilindros – 4 em linha;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Peso/Torque – 82,9 kg/kgfm;

Tração – Dianteira;

Combustível – Gasolina;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 4 velocidades, alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 962 kg;

Comprimento – 4471 mm;

Distância entre-eixos – 2438 mm;

Largura – 1621 mm;

Altura – 1374 mm;

Potência – 85 cv bruto – Aproximadamente 72 cv líquidos;

Cilindrada – 1372 cm³;

Torque máximo – 11,6 kgfm a 3600 rpm;

Potência Máxima – 5400 rpm;

Aceleração de 0 a 100 – 16,6 Segundos;

Velocidade máxima – 144 km/h;

Consumo: Cidade 9,8 km/l – Estrada 12 km/L;

Autonomia: Cidade 500 km – Estrada 612 km;

Porta malas – 380 Litros;

Carga útil – Não Informado;

Tanque de combustível – 51 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 143.080,00.

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Deixe um comentário