Corcel 1 4 portas 1969 o Del Rey das décadas de 1960/1970

Ele chegou ao mercado em 1968 como um sedã 4 portas, um médio de luxo com a melhor relação custo benefício da época

No ano de 1977 as últimas unidades foram produzidas, deixando apenas o modelo coupé em produção, mas a versão Corcel 1 4 portas 1969, ganhou o título de carro do ano, muito econômico, manutenção descomplicada e um acabamento interno bastante requintado.

A carroceria sedã, foi largamente utilizado por taxistas e frotistas até o final da primeira metade da década de 1970. O grande diferencial do carro, além de ser um modelo 4 portas, era a manutenção relativamente barata para a época, tendo em vista que entre 1968 e 1972 o Corcel 1 foi classificado como compacto, apenas em 1972/1973 que a montadora reposicionou para modelo médio.

O baixo consumo de combustível, também era um grande atrativo, incríveis 10 km/l na cidade, em uma época onde os carros nacionais faziam em média 5 km/l.

O espaço interno e a qualidade do acabamento fechavam o pacote para a melhor relação custo benefício.

No ano de 1981, com a nova tendência de mercado para modelos médios, e o fim dos muscle cars já selado, a Ford assistiu a evolução do VW Passat, e o anuncio da Chegada da família Monza e da segunda geração Passat “VW Santana”, tratou de se antecipar e trazer de volta para o mercado o Corcel 4 portas.

Com uma nova suspensão, e com acabamento e visual executivo, recebeu um nome mais nobre “Del Rey” e foi sucesso imediato.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto, carroceria, chassi e suspensão, entregava segurança e eficiência, cumpria o papel para um sedã da época.

Motor –  Utilizando o motor Cléon Fonte 1.3 de 68 CV, era o modelo entre os compactos e médios entre 1968 e 1972, mais ágil e moderno do país.

Câmbio –  O câmbio de 4 velocidades era eficiente, macio e deixava o carro descomplicado para dirigir.

Retomadas e ultrapassagens – Por ser um modelo leve, confiável, mais ágil que os modelos nacionais refrigerados a ar, era seguro e eficiente na estrada.

Consumo –  Na versão 1.3 a gasolina, tinha um consumo considerado muito além dos padrões para a época, fazendo ótimos 10 km/l na cidade, conforme ficha técnica no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  redondos de lentes boleadas, embutidos em uma moldura metálica.

Setas dianteiras – Embutidas na grade de ar do motor, próximo aos faróis;

Para – choques –  Em lâminas de aço carbono cromados;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – De alumínio, com frisos na horizontal;

Retrovisores – Metálicos cromados;

Frisos – Metálicos no rodapé da carroceria em toda a extensão do carro;

Rodas – Rodas de aço, tradicionais da família Passat e BX 185/70 R13;

Maçanetas – Cromadas;

Logo – “Corcel” na tampa do porta malas;

Lanterna Traseira – Lente vermelha, sem luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Equipamentos

Painel – Com mostradores básicos em escala circular;

Acabamento do painel – Metálico na cor grafite e detalhes em madeira jacarandá;

Volante – De plástico injetado, com aro cromado ao centro para acionamento da buzina;

Sistema de som – Rádio AM Ford Philco;

Ventilador – Não informado;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – Não;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Não;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em vinil;

Acabamento das portas – Em vinil, com detalhes em imitação de madeira jacarandá;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Sim;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Corcel 1 4 portas 1969

Carroceria – Sedã;

Porte – Médio;

Portas – 4;

Motor – Cléon Fonte 1.3;

Cilindros – 4 Em linha;

Posição – Longitudinal;

Tuchos – Mecânicos;

Tração – Dianteira;

Combustível – Gasolina;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 4 velocidades, alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a tambor nas quaro rodas;

Peso – 944 KG;

Comprimento – 4410 mm;

Distância entre-eixos – 2438 mm;

Potência – 68 CV;

Cilindrada – 1289 cm³;

Torque máximo – 9,8 kgfm a 3200 rpm;

Potência Máxima – 5200 RPM;

Aceleração de 0 a 100 – 13,6 Segundos;

Velocidade máxima – 129 km/h;

Consumo: Cidade 10 KM/L – Estrada 13,4 km/l;

Autonomia: Cidade 570 km – Estrada 763,8 km;

Porta malas – 380 Litros;

Carga útil – Não Informado;

Tanque de combustível – 57 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 79.726,00.

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Please follow and like us:

4 comentários sobre “Corcel 1 4 portas 1969 o Del Rey das décadas de 1960/1970”

  1. Lembro que tivemos um desses logo no lançamento, desse modelo mesmo, sedan 69, vermelho como o da foto no manual do proprietário.
    Eu tinha 6 anos na época, já achava interessante a diferença do modo de trancar as portas por dentro, em vez de apertar o botão, era pra apertar a maçaneta pra dentro e empurrar pra baixo.
    O carro tinha uma certa cara de bobo, ficou mais agressivo mais tarde quando foi “adaptado pra ficar parecido com o Maverick”, especialmente o coupé GT. Adorava aquela onda sobre a roda traseira.

  2. Eu vi alguns aqui em Teresina mais os que faziam sucesso mesmo era duas portas, meu pai ainda teve dois. Achava eles mais confortável que o Fusca (minha paixão) apesar aprender a dirigir no Fusca.

  3. Eu gosto de ver esses carros antigos. é o meu sonho ter um dia um desses

Deixe uma resposta