Caravan Diplomata 92 O último ano da única SW de grande porte produzida em solo brasileiro

Entre as décadas de 1970 e 1990, o modelo da Chevrolet foi a unica SW de grande porte produzida no Brasil, luxo, requinte e uma verdadeira legião de fãs

Ela chegou ao Brasil em 1975, 7 anos depois do lançamento da plataforma Opala, em 17 anos de produção foi um dos poucos veículos produzidos no mundo, que atendeu desde a classe baixa com modelos destinados a serviços públicos, até o alto escalão de empresários e políticos, terminou sua extraordinária saga com a versão Caravan Diplomata 92.

No final da década de 1970 e durante toda a década de 1980, era bastante comum ver utilitários públicos Caravan Chevrolet, ambulâncias, serviços funerários entre outros, ao mesmo tempo a montadora conseguia ter a extraordinária habilidade de manter uma visibilidade de alto nível no mercado, trabalhadores da classe média, empresários e políticos de médio e alto escalão, tinham o modelo Chevrolet como a perua preferida.

Em 1992 a versão top de linha Caravan Diplomata SE, fecha um ciclo que embalou os sonhos de muitas mães e pais de famílias. Quando garoto no ano de 1982, andei em uma Caravan Comodoro da mãe de um amigo, e foi paixão a primeira vista, na minha mente de adolescente, acostumado a andar de Fusca e Fiat 147, eu não conseguia entender como a Caravan andava em ruas e estradas tão esburacadas, sem fazer barulho, incrivelmente macia e silenciosa.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto, carroceria, chassi e suspensão, era um dos mais eficientes do mercado, a Chevrolet conseguia unir conforto e segurança e um mesmo conjunto.

Motor –  Utilizando o motor Chevrolet 4.1 de 121 CV, era robusto, confiável e ágil, mesmo estando com carga máxima de 420 kg.

Câmbio –  O câmbio de 5 velocidades era eficiente, macio e deixava o carro descomplicado para dirigir.

Retomadas e ultrapassagens – Esse era o outro ponto forte do carro, mesmo com 5 adulto e porta malas cheio, não perdia o fôlego.

Consumo –  Na versão 6 cilindros a gasolina, tinha um consumo considerado dentro do esperado para os padrões da época, fazendo 7 km/l na cidade, conforme ficha técnica no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  Trapezoidais com luz de longo alcance embutida na mesma lente.

Setas dianteiras – Embutidas no mesmo conjunto dos faróis;

Para – choques –  Envolventes na cor do carro;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – De plástico na cor da carroceria;

Retrovisores – Satélites na cor do carro;

Frisos – Largos frisos laterais em toda a extensão do carro, com o logo “Diplomata SE”;

Rodas – Rodas de liga – leve, 195/65 R15;

Maçanetas – Na cor grafite embutida na carroceria;

Logo – “4.1/S” na tampa do porta malas;

Lanterna Traseira – Tricolor fumê, tradicionais da família Caravan;

Bagageiro – Sim;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Sim;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores básicos em escala circular + Conta – Giros;

Acabamento do painel – Vinil e metálico na cor grafite;

Volante – Espumado estilo executivo de três raios;

Sistema de som – Rádio toca fitas digital AM/FM Chevrolet;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Sim;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Sim;

Relógio – Digital;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Elétrico;

Sistema de travamento das portas – Elétrico;

Ajuste dos retrovisores externos – Elétrico;

Acabamento dos bancos – Em fino tecido aveludado;

Acabamento das portas – Em vinil e forração em veludo;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Sim;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Vazado, para dois passageiros;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Caravan Diplomata 92

Carroceria – SW;

Porte – Grande;

Portas – 2;

Motor – Chevrolet 4.1/S;

Cilindros – 6 Em linha;

Posição – Longitudinal;

Tuchos – Hidráulicos;

Tração – Traseira;

Combustível – Gasolina;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Manual de 5 velocidades, alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco ventilado nas rodas dianteiras e sólido nas rodas traseiras;

Peso – 1389 KG;

Comprimento – 4812 mm;

Distância entre-eixos – 2667 mm;

Potência – 121 CV;

Cilindrada – 4093 cm³;

Torque máximo – 29 kgfm a 2000 rpm;

Potência Máxima – 3800 RPM;

Aceleração de 0 a 100 – 12,1 Segundos;

Velocidade máxima – 168 km/h;

Consumo: Cidade 7 KM/L – Estrada 9,5 km/l;

Autonomia: Cidade 637 km – Estrada 864,5 km;

Porta malas – 420 Litros;

Carga útil – 420 kg;

Tanque de combustível – 91 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 159.213,00.

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Please follow and like us:

Deixe uma resposta